Jovem morto no Deck Sul foi espancado antes de ser alvo de tiros

Rapaz de 19 anos não resistiu ao ser alvejado no peito. Polícia prendeu dois dos quatro suspeitos de participar do crime

atualizado 07/10/2019 17:52

Arthur Daniel Silva Torreão (foto em destaque), 19 anos, foi espancado antes de ser alvejado por tiros e morrer na madrugada de sábado (05/10/2019), no Deck Sul, complexo às margens do Lago Paranoá, na L4 Sul, próximo à Ponte das Garças.

A informação foi divulgada pelo delegado-chefe da 1ª DP (Asa Sul), Ataliba Neto, na tarde desta segunda-feira (07/10/2019). Segundo Ataliba, o crime ocorreu durante uma festa na madrugada de sexta (04/10/2019) para sábado (05/10/2019). “São festas sem alvará que já vêm acontecendo desde setembro, no Deck Sul. As pessoas levam carro, ligam som alto e ficam bebendo”, contou.

De acordo com o delegado, câmeras flagraram parte da confusão. “Conseguimos ver que o grupo dele estava mais afastado. Só dá para ver que o Arthur vai para o meio da festa e volta com a boca sangrando”, conta.

Pouco depois, segundo testemunhas, quatro homens apareceram e começaram a bater em Arthur. “Os amigos contaram que foi tudo muito rápido e não deu tempo nem de reagir. Ele foi tentando se defender, caiu dentro de um carro e foi alvo de três disparos, mas só um pegou no peito dele.” O veículo passará por perícia.

Depois do crime, contou o delegado, os quatro agressores fugiram em um veículo, apreendido pela Polícia Civil. “Depois dos tiros, já tinha um veículo com um motorista preparado para sair correndo. Parece que a briga foi orquestrada.”

A vítima era moradora do Guará I e os quatro envolvidos moram no Guará II. Dois deles foram presos nesta segunda-feira (07/10/2019). Eles negaram participação no caso. A polícia ainda não sabe o motivo da briga nem qual dos quatro acusados de envolvimento no episódio foi o autor dos disparos.

Um dos detidos é menor de idade. A Justiça decretou a internação provisória do adolescente por cinco dias. O outro suspeito foi identificado como Daniel Junio Rodrigues Freitas, 21 anos. Ele teve a prisão temporária decretada por cinco dias, podendo ser prorrogada, caso haja necessidade para a investigação.

Últimas notícias