Gerente é assassinado em porta de boate na Asa Sul

Testemunhas relataram à polícia que dois homens chegaram no estabelecimento, um deles atirou e, em seguida, ambos fugiram

atualizado 07/02/2020 10:39

Um homem de 37 anos morreu após ser baleado na porta da boate Alfa Pub, no térreo do Hotel Bonaparte, no Setor Hoteleiro Sul. O crime ocorreu na madrugada desta sexta-feira (07/02/2020). A vítima era gerente do estabelecimento. A 5ª Delegacia de Polícia (área central) investiga o caso. Segundo testemunhas, foram disparados de cinco a seis tiros.

Funcionários relataram à polícia que dois homens encapuzados chegaram ao estabelecimento, um deles atirou e, em seguida, ambos fugiram. Não se sabe o motivo do homicídio.

A Alfa Pub já foi tema de reportagens do Metrópoles. Em abril de 2019, uma equipe acompanhou a movimentação no local, considerado reduto de políticos.

0

Na ocasião, garotas de programa revelaram que existem traficantes cativos que fazem as entregas no local. O contato é feito por meio de WhatsApp e a transação é rápida. Ela ocorre momentos após o programa ser fechado com as prostitutas. O consumo, geralmente, acontece nos quartos de hotéis do Setor Hoteleiro Sul.

Os traficantes lucram com a clientela abastada que frequenta a boate. Bebidas, comidas e uma noite de sexo custam caro no Alfa Pub. É preciso desembolsar R$ 150 de consumação para entrar. O ingresso dá direto a cinco cervejas long neck – cada uma não sai por menos de R$ 30.

A movimentação do tráfico e dos programas sexuais na boate tiram o sono dos moradores do hotel. Dos 267 apartamentos que existem no prédio, 183 servem de moradia fixa. A maioria dos ocupantes corresponde a casais de idosos que estão no local há cerca de 20 anos. Os condôminos e gestores atravessam intensas disputas judiciais contra os donos do estabelecimento.

O outro lado
Na ocasião, a reportagem entrou em contato com o dono da boate para falar sobre as denúncias. Neemias Carneiro afirmou que o Alfa Pub é um bar e não possui qualquer envolvimento com prostituição. “Tanto os homens quanto as mulheres que frequentam a casa são clientes. O que eles negociam, eu não sei”, disse.

Aguarde mais informações

Últimas notícias