Papuda: grupo ameaçava matar outro preso se mãe não pagasse proteção

Após mandarem a mulher depositar dinheiro em troca da vida do filho, os internos acabaram pegos em flagrantes

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 27/06/2019 15:57

Quatro detentos que cumprem pena no Complexo Penitenciário da Papuda foram presos em flagrante na noite dessa quarta-feira (26/06/2019) após tentativa de extorsão contra a família de um dos internos. O caso foi registrado na 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião).

Segundo o Metrópoles apurou, desde maio os autores obrigavam a mãe de um preso a depositar R$ 4 mil nas contas dos criminosos. Em troca, eles garantiriam a segurança do interno. Caso contrário, o rapaz poderia ser morto dentro do próprio sistema. A mulher denunciou a chantagem às autoridades, o que permitiu a prisão em flagrante dos detentos.

Servidores do presídio relataram à reportagem que a situação é recorrente. Pontuaram, ainda, a dificuldade em identificar os crimes, pois as vítimas não registram as denúncias – muitas vezes por medo de ocorrer algo com o familiar preso.

Geralmente, os presos mais fortes e articulados se aproveitam da vulnerabilidade e fragilidade de alguns companheiros de cela e tentam obter lucro de forma ilícita, principalmente mediante extorsão.

O grupo chegava aos familiares por meio dos próprios presos. Em alguns casos, enviavam bilhetes com ameaças. Os internos vítimas da chantagem eram obrigados a acionar os parentes e passar os detalhes da quantia e da conta onde o dinheiro deveria ser depositado. Os familiares também eram intimidados durante as visitas ao presídio.

A Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), informa que os internos foram identificados por agentes da Penitenciária do Distrito Federal II (PDF-II), separados e encaminhados à 30ª Delegacia de Polícia, onde foram autuados em flagrante delito pelos crimes de extorsão e associação.

Denúncia anônima
A Polícia Civil dispõe de diversos canais para receber denúncias. A identidade das vítimas é preservada e também é possível relatar de forma anônima. São disponibilizados quatro meios de contato: telefone 197; site www.pcdf.df.gov.br; e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br; ou WhatsApp (61) 98626-1197.

Últimas notícias