*
 

Um adolescente de 16 anos foi espancado até a morte durante uma festa de música eletrônica no Parque da Cidade. Ele estava na companhia de um homem de 23, que acabou esfaqueado, mas sobreviveu. A dupla, segundo testemunhas, teria roubado o telefone celular de uma jovem. Em seguida, foi cercada e agredida por cerca de 20 pessoas.

O caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). De acordo com relatos de testemunhas, a dona do aparelho subtraído estava com um grupo de pessoas, por volta de 19h de sábado (26/5), quando foi agarrada pelo adolescente. O outro homem teria puxado o celular da mão da vítima do roubo.

Logo após, pessoas que estavam próximas cercaram o menor e o espancaram. O comparsa foi esfaqueado, socorrido e levado para o Instituto Hospital de Base.

A família do rapaz morto nega que ele tenha envolvimento com qualquer tipo de atividade ilícita. Para os parentes do adolescente, ele foi vítima de selvageria.

Em depoimento na delegacia, a proprietária do celular roubado não conseguiu identificar os homens que mataram o rapaz de 16 anos. Ela também não reconheceu o outro homem envolvido no assalto.

A festa – Cala-boca, me beija – ocorreu no estacionamento do Kart Carrera e teria sido marcada via redes sociais. A administração do Parque da Cidade não concedeu autorização para o evento, que reuniu cerca de 1.500 pessoas.

Inaugurado em outubro de 1978, o Parque da Cidade foi projetado pelo arquiteto e paisagista Roberto Burle Marx. Com 4,2 milhões de metros quadrados, o Sarah Kubitschek é o segundo maior parque urbano do mundo, superado apenas pelo Phoenix Park, em Dublin, na Irlanda.

O local recebe, em média, 14 mil pessoas de segunda à sexta-feira e 37 mil nos fins de semana. Em eventos especiais, o público sobe para 80 mil.