Lockdown no DF: Sociedade de Infectologia diz não concordar com CRM

Em nota, entidade do DF afirma que não foi consultada e que não é admissível o posicionamento radical do conselho neste momento da pandemia

atualizado 01/03/2021 18:41

lockdown na asa norteMatheus Garzon/Metrópoles

Depois que o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) emitiu um ofício dizendo ser contra o lockdown como medida de controle da transmissão de Covid-19, a Sociedade de Infectologia do DF (SIDF) afirmou, em nota, que não concorda com o posicionamento do órgão.

Segundo a SIDF, o conselho montou uma câmara técnica com infectologistas, mas não a consultou antes de se posicionar a favor do tratamento precoce e contra o lockdown.

“O DF, assim como o restante do Brasil, encontra-se em uma grave crise de saúde pública e tal situação requer máxima expertise, para que as melhores medidas de contenção sejam implementadas, visando assim o benefício da sociedade como um todo. Soluções simples ou radicalismos não atendem à necessidade atual”, diz a diretoria da Sociedade, no documento.

A nota explica ainda que o lockdown se mostrou útil em várias partes do mundo e que, no DF, deve ser feita restrição de atividades específicas em horários delimitados para diminuir a transmissão do vírus.

“São lícitos os debates e os questionamentos sobre quais atividades devem, ou não, ser afetadas pelas restrições, bem como a duração desse período. Não é admissível, entretanto, que haja um posicionamento radical, contra a medida de forma geral, como fez o CRM-DF”, escreve a SIDF.

0

Últimas notícias