Sargento dos bombeiros que ameaçou homem com arma será investigado na corporação

Militar teria assediado uma passageira no Metrô e após ser repreendido por um rapaz, o agrediu e ameaçou usando uma pistola

atualizado 23/12/2020 17:33

homem ameaçando negroReprodução

O 1º sargento do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) Guilherme Marques Filho, que agrediu e ameaçou com uma pistola o programador Jair Aksin Reis Canhête, 25 anos, na tarde dessa sexta-feira (18/12), será investigado pela corporação. Em nota, o CBMDF afirmou que a Corregedoria vai instaurar um processo administrativo para apurar o caso. Ainda segundo os bombeiros, atualmente, Marques Filho trabalha em setores administrativos.

Tudo começou após o rapaz pedir que Marques Filho parasse de assediar uma mulher no Metrô, o militar teria passado a mão nas costas dela. Como resposta, o 1º sargento esboçou sacar uma pistola que levava na cintura, mas os seguranças do Metrô conseguiram apaziguá-lo e pediram para que Jair esperasse o bombeiro ir embora, a fim de evitar confusão. No entanto, ao sair da estação, Marques Filho estava esperando pelo programador.

Assustado, o rapaz correu para se refugiar dentro de uma loja especializada na venda de peixes e aquários. “Tentei me posicionar próximo a uma câmera de segurança para, pelo menos, ficar registrado que ele poderia me matar. Por sorte, ele puxou a arma, me agrediu, mas não apertou o gatilho”, desabafou.

Em pânico, funcionários do estabelecimento acompanharam as ameaças. Logo após agredir o rapaz, o homem deixou o local. Jair registrou ocorrência na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) e aguarda um desfecho sobre caso. “É uma sensação muito ruim de impotência, pois esse homem havia assediado uma moça dentro do Metrô. Espero que as autoridades tomem uma providência enérgica”, finalizou.

Veja as agressões:

 

 

Últimas notícias