metropoles.com

Salário dos professores do DF com reajuste: piso de R$ 6,5 mil, teto de R$ 9,8 mil

Nesta quinta (4/5), professores do DF iniciam uma greve sem data para acabar. Categoria reivindica reajuste e melhores condições de trabalho

atualizado

Compartilhar notícia

Hugo Barreto/Metrópoles
Sala de aula vazia - Metrópoles
1 de 1 Sala de aula vazia - Metrópoles - Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Após a sanção do reajuste de 18% para os servidores públicos do Distrito Federal, com exceção das forças de segurança, o salário base dos professores da rede pública chegará a R$ 6,5 mil.

O reajuste será pago em três etapas, com aumento de 6% a cada ano sobre o valor pago no ano anterior. A primeira parcela será concedida a partir de 1º de julho de 2023, com pagamento no mês seguinte.

Atualmente, segundo dados da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Administração (Seplad/DF), os professores que possuem licenciatura plena iniciam a carreira no GDF com um piso de R$ 5,4 mil para 40 horas semanais.

Com o reajuste, o piso chegará a R$ 5,8 mil já em julho deste ano. Na última etapa do aumento salarial, em julho de 2025, os docentes terão uma remuneração inicial de R$ 6,5 mil para a carga horária de 40h.

Já o teto da categoria, sem os aumentos por especialização, apenas com a licenciatura para a Educação Básica, chegará a R$ 9, 8 mil após o fim do pagamento do reajuste de 18%. Em julho deste ano, a remuneração de R$ 8,2 mil chegará a R$ 8,7 mil.

Especialização

As gratificações por especialização são pagas aos professores que têm algum tipo de especialização acadêmica, mestrado ou doutorado.

Atualmente, para os docentes que apresentam especialização, o piso salarial pago pelo GDF é de R$ 5,7 mil e o teto é de R$ 8,6 mil. Com o ajuste, os valores vão chegar a R$ 6,8 mil e R$ 10,3 mil, respectivamente.

Para os que tiverem doutorado, o piso sairá de R$ 6.282 para R$ 7.482. Já o teto, de R$ 9,4 mil para R$ 11,2 mil.

Quem tiver mestrado, pode chegar a ganhar R$ 10,7 mil.

Greve

O Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) confirmou o início de greve a partir desta quinta-feira (4/5). A categoria e representantes do Executivo local se reuniram na noite dessa terça-feira (2/5), para nova rodada de negociações, mas não chegaram a acordo.

Os professores ameaçavam entrar em greve desde a semana passada. Havia uma reunião da categoria com o Governo do Distrito Federal (GDF) agendada para essa quarta (3/5). No entanto, o encontro foi antecipado para a noite anterior. Na quinta-feira (4/5), haverá nova assembleia geral dos educadores.

A categoria cobra melhores salários e reestruturação da carreira de magistério público, com incorporação de gratificação. O reajuste de 18% anunciado pelo Executivo local para os servidores públicos foi considerado insuficiente pelos professores.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações