Reservatório de Santa Maria transborda após atingir 100% da capacidade

Última vez em que a bacia havia alcançado o volume máximo foi em 27 de junho de 2015

Divulgação/AdasaDivulgação/Adasa

atualizado 20/05/2019 13:08

O reservatório de Santa Maria transbordou no domingo (19/05/2019), após atingir a capacidade máxima, de acordo com informações da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa).

A segunda bacia mais importante da capital da República não alcançava o volume máximo desde 27 de junho de 2015. Mas com o início do período de seca, os brasilienses devem continuar economizando água.

Em 5 de novembro de 2017, a barragem responsável pelo abastecimento da maior parte das regiões do Plano Piloto, Lago Sul e Paranoá, chegou ao volume mínimo de 21,8%, durante o período crítico de escassez hídrica.

Ainda de acordo com informações da Adasa, o Santa Maria, ao contrário do Descoberto, recuperou-se mais lentamente, após o período de racionamento de água.

Além de ser menor, o reservatório é abastecido apenas por pequenos riachos. A barragem do Descoberto, que atende mais de 60% da população do DF, atingiu sua capacidade máxima pós-crise hídrica, em 27 de dezembro do ano passado. Ainda de acordo com a Adasa, a intensidade das últimas chuvas contribuiu para a permanência do volume máximo, com pequenas variações.

“O Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos (SIRH), que monitora diariamente o nível dos reservatórios e pode ser conferido pelo site da Adasa, indica que a barragem de Santa Maria atingiu pela primeira vez a sua capacidade máxima em 15 de março de 1989. A situação se repetiu a cada ano, até 1994, e alternadamente a partir de 1997. Nos últimos dez anos, a barragem de Santa Maria atingiu sete vezes o volume total. A última, antes da crise hídrica, foi em junho de 2015”, esclareceu o órgão por meio de nota.

A Adasa recomenda ainda que “apesar dos bons resultados, é importante a manutenção das boas práticas de consumo de água”.

Dados do Reservatório do Santa Maria (2009 a 2018)  

2018 – Reservatório começa a se recuperar e atinge 50% de sua capacidade, em 5 de abril. Em outubro, no auge da seca, o volume foi de 48,6% e, a partir daí, a barragem retomou o processo de recuperação até os dias de hoje.

2017 – DF enfrenta situação crítica de escassez hídrica. Volume mínimo do Santa Maria marcou 21,8 %, em 5 de novembro.

2016 – Início do período de escassez hídrica. Reservatório de Santa Maria atinge o volume mínimo de 40,3%, em 19 de novembro.

2015 – Volume do reservatório volta a atingir 100% a partir de 27 de abril, e permanece assim até 27 de junho.

2014 – Barragem mantém capacidade máxima por cerca de seis meses: de 22 de janeiro a 5 de julho

2013 –Santa Maria volta a atingir o volume máximo a partir de 16 de janeiro até 11 de maio.

2012 – Reservatório mantém 100% de sua capacidade, até 30 de junho.

2011 – Barragem chega à capacidade máxima em 5 de março, permanece por curto período até 2 de maio, e volta a atingir o volume total em 22 de dezembro daquele ano.

2010  – O Santa Maria atingiu o volume de 100%  entre os dias 6 de abril e 27 de maio.

2009 – Volume do reservatório variou de 79,1% a 89,3%.

Com informações da Adasa

Últimas notícias