Rapaz esfaqueado na Asa Norte diz que reagiu a assalto: “Tive sorte”

Ao Metrópoles, Alexandre Queiroz contou que pela terceira vez foi alvo de bandidos

Material cedido ao MetrópolesMaterial cedido ao Metrópoles

atualizado 08/08/2019 14:17

Esfaqueado durante tentativa de assalto na entrequadra 308/309 Norte, o empresário Alexandre Queiroz, 20 anos, pode ter alta nesta quinta-feira (08/08/2019) do Hospital de Base do DF. Ao Metrópoles, o rapaz contou, nesta manhã, que ia encontrar o dono de uma tapiocaria, próximo ao Pão de Açúcar, quando foi abordado por criminosos.

A tentativa de latrocínio ocorreu na noite de terça-feira (06/08/2019), quando Alexandre chegou ao local e não encontrou o cliente, que é dono de tapiocaria. O empresário pegou o celular para mandar mensagens, momento em que foi abordado por dois bandidos. A vítima diz que reagiu: jogou os pertences para os lados e, a partir daí, os ladrões começaram a agredi-lo.

“Quando fui me proteger, eles começaram a me machucar mais”, disse. Alexandre levou duas facadas no peito, duas na axila e uma no dedo. Ele segue hospitalizado, ainda em recuperação. Só não ficou ainda mais ferido porque usava um colete para corrigir a postura. O rapaz disse que não é a primeira vez que escapa de roubos. Na verdade, é a terceira.

“Na primeira tentativa de assalto, eu estava com um amigo indo almoçar quando um cara tentou abordar a gente. Nós o empurramos e corremos. A segunda foi perto de casa, mas estava sozinho. O cara só mostrou um volume na blusa e eu corri também”, relatou. E ele explica o motivo de reagir a roubos: “Trabalho desde o ensino fundamental para comprar as coisas que quero, então para mim elas têm um valor além do dinheiro. Mas é claro que não recomendo isso a ninguém e reconheço que sempre tive sorte”, ressalta.

Alexandre foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros. A vítima foi levada ao Hospital de Base, “consciente, orientada e estável”. Segundo a Polícia Militar, o suspeito da tentativa de assalto é um menor de 15 anos, que foi apreendido e levado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). Ele teria tentado roubar o celular de Alexandre.

A tentativa de latrocínio ocorreu por volta das 20h30. De acordo com a ocorrência policial, diante das características dos assaltantes – eles vestiam bermudas, chinelos e camisetas –, a PM fez uma ronda e encontrou dois adolescentes e um adulto. Apenas o de 15 anos ficou detido.

Alcidia Maria, 52, queixa-se da insegurança na entrequadra. Ela trabalha no local e diz que, desde que uma loja onde os donos tinham mais contato com a polícia fechou, as rondas diminuíram muito. “Precisa de mais policiamento aqui. É uma área muito isolada e, principalmente no sábado, fica muito deserto. Aí acaba ocorrendo esse tipo de crime e ficamos apreensivos”, pontua.

Últimas notícias