Promotores questionam PM sobre suposta atuação de milícia em áreas carentes

O MPDFT questiona se existe procedimento aberto para a apuração de possíveis práticas de ameaça e extorsão contra chacareiros

atualizado 08/10/2021 10:06

Policial MilitarRafaela Felicciano/Metrópoles

A 3ª Promotoria de Justiça Militar requisitou informações à Corregedoria-Geral da Polícia Militar a respeito de suposta atuação de policiais militares, valendo-se da situação funcional, para a prática de delitos nos assentamentos 26 de Setembro e Cana do Reino.

Em ofício expedido nesta quinta-feira (7/10), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) questionou se existe procedimento aberto para a apuração de possíveis práticas de ameaça e extorsão contra chacareiros instalados nessa região.

Em caso negativo, a promotoria requisitou a imediata instauração de procedimento de apuração preliminar para a coleta de indícios. A Corregedoria tem prazo de 10 dias para responder ao Ministério Público.

Segundo denúncias, moradores da região queixam-se da conduta de policiais militares que promoveriam, ao lado de grileiros, invasão das terras, expulsão dos chacareiros e posterior loteamento e venda dos terrenos.

Últimas notícias