Professores cobram vacina contra a Covid no aniversário de Brasília

Os docentes farão carreata no dia 21 de abril, em frente à Funarte, no Eixo Monumental

atualizado 19/04/2021 22:43

Carreata de professoresGustavo Moreno/Especial Metrópoles

Professores de escolas públicas e privadas do Distrito Federal vão protestar para ter acesso à vacina contra a Covid-19. A manifestação está marcada para esta quarta-feira (21/4), no aniversário de 61 anos de Brasília.

O ato é organizado pelo Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino no Distrito Federal (Sinproep-DF) e pelo Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF).

Seguindo os protocolos sanitários, os professores farão uma carreata a partir das 9h, saindo do estacionamento da Funarte, no Eixo Monumental. A diretora do Sinpro, Rosilene Correa, chamou a categoria para participar do movimento e expôs sua indignação com aulas presenciais sem a aplicação de vacinas contra o novo coronavírus.

Confira:

“Estamos acompanhando diariamente qual é o triste quadro da Covid aqui no DF. Pessoas morrendo nas filas dos hospitais por falta de atendimento”, pontuou a diretora do Sinpro. Rosilene destacou a fila para internação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo a sindicalista, nas escolas particulares, as aulas presenciais têm sido impostas.

“É nesse cenário caótico que donos de escolas obrigam o funcionamento. Portanto, colocando não os professores e professoras para correrem risco de morte, mas também seus alunos e seus familiares”, cravou.

A dirigente criticou o movimento de parte da sociedade pela retomada das aulas presenciais nas escolas públicas, atualmente suspensas. “De verdade, não acham que faz diferença morrer mais alguns ou mais muitos”, criticou a líder sindical. Para Rosilene, o retorno da rede pública só pode ocorrer após a vacinação dos docentes.

Já o Sinproep defende a suspensão das aulas presenciais na rede particular até a imunização dos educadores. Segundo o diretor jurídico do Sinproep, Rodrigo de Paula, o protesto contará com todos os sindicatos relacionadas à educação de Brasília, como o dos Trabalhadores em Escolas Publicas no DF (Sae-DF) e o dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares de Ensino no Distrito Federal (Saep-DF).

“Nós pedimos a vacinação dos professores. No nosso caso, os professores estão na linha de frente desde o ano passado. A educação é super importante, mas nós precisamos ter a garantia de que todos os trabalhadores [da educação] serão imunizados, uma vez que estamos perdendo profissionais para a Covid”, comentou. “Nós últimos 15 nós tivemos, tivemos mais de 10 professores que perderam a vida para a Covid e estavam com aulas presenciais”, completou Rodrigo de Paula.

Outro lado

O Metrópoles entrou em contato com o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) sobre a questão. Segundo a presidente da entidade, Ana Elisa Dumont, a educação é um serviço essencial. “Por isso deve ser prestado a sua comunidade. A educação cuida não só da saúde do corpo, a saúde biológica, que é importante, mas da saúde mental”, comentou.

Para Dumont, as escolas são espaços seguros, desde que os protocolos sanitários sejam seguidos de forma rígida. A dirigente destacou que um plano de vacinação dos professores foi anunciado pelo governo. “E que no momento nós estamos contribuindo, para que tão logo os professores e colaboradores de modo geral das educação privada possam ser inseridos nos grupos prioritários”, declarou.

Segundo o Governo do Distrito Federal, os professores serão imunizados à medida que a capital receber mais doses de imunizantes contra a Covid-19. O Executivo chegou a anunciar o início da vacinação para 9 de abril, mas a previsão foi frustrada e uma nova data ainda não foi divulgada.

Últimas notícias