Professora e advogada é flagrada com encomenda de haxixe nos Correios

De acordo com a PMDF, a acusada é ex-doutoranda em psicologia pela PUC-GO e membro do Conselho Penitenciário do Estado do Goiás

DIVULGAÇÃO/PMDFDIVULGAÇÃO/PMDF

atualizado 03/10/2018 14:21

Uma mulher foi presa, na tarde desta terça-feira (2/10), após receber uma encomenda, pelos Correios, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), com 2kg de haxixe.

De acordo com a Polícia Militar, a acusada é ex-doutoranda em psicologia pela Pontifícia Universidade de Goiás (PUC-GO), mestre em ciências penais pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em criminologia nesta mesma instituição de ensino, membro dos conselhos Penitenciário do Estado de Goiás e de Direitos Humanos de Goiás, professora e advogada.

Com base em informações da PM, a mulher foi aos Correios retirar a encomenda, vinda do Paraná, por volta de 12h, acompanhada de um homem. O casal, morador da Asa Norte, segundo a corporação, levantou suspeita. Isso depois que a mulher, durante uma crise nervosa, desmaiou e se trancou no banheiro.

No local, clientes que estavam na agência ligaram para a PMDF relatando a situação. Policiais militares abordaram o homem e a mulher tão logo a dupla saiu da agência com uma caixa na mão. Em seguida, pediram aos Correios que passassem a caixa no raio-X, o que levantou a suspeita de algo ilícito.

“Ela mesma abriu a caixa. Disse que a droga seria de outra pessoa, também moradora da Asa Norte”, contou ao Metrópoles o sargento Anderson, do Grupo Tático Operacional (GTop) da PMDF, que prendeu o casal. De acordo com o militar, a mulher demonstrava muito nervosismo. Apesar disso, ela e o homem não resistiram à abordagem.

Uma equipe da Polícia Federal com cães farejadores foi acionada. Antes da chegada dos policiais federais, a mulher autorizou que a embalagem fosse aberta pelos militares, momento em que foi constatada substância análoga ao haxixe.

Os policiais militares detiveram o casal e a PF realizou varredura no veículo dos suspeitos com cães farejadores, mas nada foi encontrado. Os detidos foram conduzidos para o Departamento de Polícia Federal por se tratar de tráfico interestadual.

A ocorrência ficará sob responsabilidade da Polícia Federal.

Últimas notícias