Professor universitário e servidor do TJDFT morre de Covid-19

Denis Lopes Franco ocupava vaga na faculdade de direito do IESB e era analista judiciário do TJ. Morte ocorreu nesta segunda-feira (21/6)

atualizado 21/06/2021 21:45

Reprodução/Redes Sociais

O Centro Universitário IESB lamentou a morte do professor de direito Denis Lopes Franco, ocorrida nesta segunda-feira (21/6). Também analista judiciário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), onde iniciou sua trajetória em 1995, ele foi mais uma vítima da Covid-19 no DF. Denis deixa mulher e filha.

Nas redes sociais da instituição, uma nota traz o relato da professora Any Ávila, coordenadora do curso de direito do IESB e ex-colega de trabalho de Denis. “Ele sempre tinha esse sorriso no rosto. Ele era assim: essa pureza e alegria de viver. Esse entusiasmo e doação para os alunos”, lembrou.

“Para os colegas do centro de ensino, o professor Denis deixa um importante legado em prol da educação e fará muita falta para todos aqueles que tiveram o prazer de tê-lo em sua trajetória”, diz o texto.

A Presidência do TJDFT também emitiu comunicado informando que Denis trabalhava como oficial de Justiça onde atualmente estava lotado na Circunscrição Judiciária do Paranoá.

“Ele estava internado desde o dia 17/5, em decorrência da COVID-19, e não resistiu às complicações causadas pela doença. A Justiça do Distrito Federal e dos Territórios solidariza-se com familiares e amigos neste momento de despedida e presta suas homenagens ao servidor”, declarou a Corte.

“A categoria dos oficiais de justiça chora em toda Brasil. Dênis foi umas das lideranças mais brilhantes, corajosas, carismáticas e vitoriosas para os oficiais de justiça”, afirmou o Sindojus-DF, por nota.

Conforme noticiou a Coluna Janela Indiscreta, o presidente do TJDF, desembargador Romeu Gonzaga Neiva, solicitou ao governador Ibaneis Rocha (MDB) a inclusão dos oficiais no plano de vacinação contra a Covid-19 da Secretaria de Saúde. O ofício foi encaminhado em 8 de junho ao Palácio do Buriti.

“No cumprimento das diligências judiciais, que em muitos casos ocorrem em conjunto com as forças de segurança federais e estaduais, esses servidores estabelecem contatos com diversas pessoas, em diferentes ambientes (incluindo presídios) e em diversas situações fáticas, sendo diariamente expostos aos riscos inerentes da rotina profissional e, no cenário atual de pandemia, estão muito mais vulneráveis ao contágio pela Covid-19”, afirmou o presidente do TJDFT.

O DF conta com 516 oficiais de Justiça. Deste total, 89 estão afastados da escala de trabalho presencial por integrarem o grupo de risco.

Oficial de Justiça
Covid mata oficial de Justiça no DF

Últimas notícias