Rosso retoma campanha na bike e agora promete refeições a R$ 0,50

Após dizer que reduziria valor cobrado em restaurantes comunitários para R$ 1, candidato afirma que tarifa pode ser menor para desempregados

atualizado 27/08/2018 18:17

Michael Melo/Metrópoles

Candidato ao Palácio do Buriti, Rogério Rosso (PSD) fez sua campanha na tarde desta segunda-feira (27/8) de bicicleta. Ele pedalou do Varjão ao Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Entre a sucessão de promessas feitas tanto por ele quanto pelos demais postulantes ao GDF, o deputado federal licenciado anunciou uma novidade.

Após dizer, na sexta-feira (24), que voltaria o valor das refeições dos restaurantes comunitários do DF para R$ 1 em vez dos R$ 2 cobrados atualmente, Rosso disse que a tarifa pode ser diferenciada para quem passa necessidade. “Para aqueles que estão desempregados, cada refeição custará R$ 0,50”, prometeu.

Rosso também participou de uma reunião com a Comissão de Aprovados da Polícia Civil, na qual assumiu o compromisso de cumprir o cronograma de contratação de 62 delegados, 68 papiloscopistas e 89 peritos criminais, aprovados em 2016.

“O setor público não tem conseguido devolver para a população o mínimo de atendimento de qualidade. Espero que, no período de transição entre o governo Rollemberg e o nosso, isso já seja feito. Caso não seja, começaremos 2019 com as contratações”, afirmou o político.

Durante o passeio de bike, Rosso comentou os problemas enfrentados por quem costuma usar esse meio de transporte. “As ciclovias não são integradas, o que dificulta a mobilidade do morador, como aqueles que residem no Varjão e trabalham no SIA”, comentou. Ele também criticou a falta de estrutura durante o trajeto. “São poucas ciclovias, as calçadas não têm sinalização, dois ônibus quase me atropelaram. É preciso uma integração entre as ciclovias”, disse.

Questionado sobre as propostas na área da saúde, o deputado voltou a afirmar que, se eleito, vai acabar com o Instituto Hospital de Base (IHBDF). “Minha equipe estará dentro dos hospitais, participando do dia a dia para sabermos o que precisa melhorar.”

Perfil
Rogério Rosso, 49 anos, foi governador-tampão do Distrito Federal de abril a dezembro de 2010, após a prisão de José Roberto Arruda (PR) e a renúncia do vice, Paulo Octávio (PP), em meio ao escândalo da Operação Caixa de Pandora.

Carioca e fã de rock, mudou-se para Brasília ainda criança. Viveu na Asa Sul com a família, de classe média, e estudou em escolas públicas da capital. É formado em direito, com especialização em marketing e direito tributário. Antes de entrar para a política, foi executivo nas empresas Mercedes-Benz, Catterpilar e Fiat.

Mais lidas
Últimas notícias