PSL-DF tem contas reprovadas e ficará dois meses sem fundo partidário

Legenda teria gastado mais do que os valores apresentados à Justiça Eleitoral. Ainda cabe recurso

TRE/DivulgaçãoTRE/Divulgação

atualizado 26/09/2019 22:03

As contas do PSL do Distrito Federal foram reprovadas nesta quinta-feira (26/09/2019), por unanimidade, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF). A Corte entendeu que a sigla realizou despesas maiores do que as comprovadas. A punição à legenda será ficar dois meses sem receber recursos do fundo partidário.

De acordo com o relatório da desembargadora Diva Lucy, baseado em parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE-DF), em 2015, o PSL-DF deixou de comprovar gastos de R$ 16.174,48. O montante corresponde a 58,61% do dispêndio total do partido na capital do país naquele ano.

Os valores foram usados, segundo a prestação de contas apresentada, com pagamento de aluguéis de imóveis, condomínio, telefone e taxas. Porém, Diva Lucy e o MPE-DF destacaram não ter havido comprovação do uso do dinheiro público. Ainda cabem recursos, como embargos de declaração a instâncias superiores.

Desde janeiro deste ano, o PSL é comandado pela deputada federal Bia Kicis. A reportagem entrou em contato com a presidente da sigla, que informou não ter conhecimento do caso em questão e, por essa razão, não comentaria a sanção. A direção do partido também foi acionada, mas não havia se pronunciado até a última atualização deste texto.

Últimas notícias