*
 

Não é só nos números que o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) à frente do Palácio do Buriti tem sido avaliado negativamente pela população. Pesquisa encomendada pelo Metrópoles ao Instituto Dados aponta que as palavras mais citadas pelos eleitores para definir o governo são pouco lisonjeiras: “péssimo”, “ruim”, “horrível” e “merda”.

A pesquisa perguntou aos entrevistados qual palavra ou expressão utilizariam para definir o governo Rollemberg. Ao todo, os eleitores citaram 233 termos. A campeã disparada foi a palavra “péssimo”, mencionada por 15,8% das pessoas.

Em seguida, vêm os termos “ruim” (11,1%), “horrível” (5%), “merda” (3,1%) e “bom” (2,5%). Entre as 20 expressões mais lembradas pelo público para descrever o governo, 16 são de reprovação absoluta. Algumas das que aparecem são “bosta”, “irresponsável”, “corrupto”, “incompetente”, “safado” e “lixo”. Restaram apenas quatro: “bom”, “regular”, “pode melhorar” e “mais ou menos”.

Editoria de Arte/Metrópoles

Palavras mais usadas por eleitores para definir o governo de Rodrigo Rollemberg

 

A “falta de apoio político”, que também foi colocada pelos eleitores, provavelmente, faz referência à dificuldade que o GDF teve em aprovar, na Câmara legislativa, algumas medidas polêmicas durante o último ano.

A mais recente, foi a rejeição a uma emenda ao Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018. O Buriti queria deixar de aportar R$ 1,211 bilhão ao Instituto de Previdência dos Servidores (Iprev) e usar esse dinheiro, em pleno ano eleitoral, para obras e nomeação de servidores. Com a negativa dos distritais, os ânimos se acirraram entre Executivo e Legislativo, com direito a ataques públicos e notas de repúdio dos dois lados.

A crise foi contornada à base de negociações dos bastidores e, após promessas do GDF, os deputados marcaram uma sessão extraordinária, em janeiro, para votar um projeto que permite ao governo remanejar valores do orçamento.

Desaprovação
Os problemas internos também se refletem externamente. Em 2017, os índices de aprovação do governo de Rodrigo Rollemberg atingiram recorde negativo em relação aos últimos dois anos.

De acordo com a pesquisa Metrópoles/Dados, 73,4% dos eleitores consideram a gestão ruim ou péssima e 41,5% dão nota zero ao governo. Já o grupo que considera a administração boa ou ótima continua a diminuir: em 2016, representaram 6% do total.

Ao fim de 2015, 38,8% dos entrevistados consideravam o governo Rollemberg péssimo, e 15,1%, ruim, somando 53,9%. Já no ano passado, esses índices ficaram em 44,2% e 24%, respectivamente. O total de reprovação chegou a 68,2%.

 

 

COMENTE

Rodrigo RollembergGDFPesquisa de OpiniãoMetrópoles/Dadospalavras mais usadas
comunicar erro à redação

Leia mais: Política