Ibaneis sobre Filippelli: “Momento dele não é mais aquele do passado”

Governador disse que é preciso oxigenar a legenda. Ele aguarda decisão nacional sobre pedido de dissolução do diretório regional do MDB

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 29/04/2019 15:56

Os filiados ao MDB no Distrito Federal aguardam nesta semana a decisão nacional do partido  sobre o pedido de intervenção no diretório regional. Para o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, um dos autores da solicitação de mudança, é preciso renovar a legenda. “E a renovação passa exatamente pelo Filippelli, que é o seu presidente, entendendo que o momento dele na política não é mais aquele do passado. Esse partido precisa de oxigenação”, disse Ibaneis, nesta segunda-feira (29/04/2019).

O governador falou sobre a situação da legenda nesta manhã, após evento no Palácio do Buriti. Na última quarta-feira (24/04/2019), ele e o presidente da Câmara Legislativa (CLDF), Rafael Prudente, pediram a dissolução do diretório, conforme noticiado em primeira mão pelo Metrópoles. A medida, caso aceita, tira o ex-vice-governador Tadeu Filippelli do comando da agremiação. Na avaliação de Ibaneis, o partido se enfraqueceu nos últimos anos.

“O MDB passou por um período muito difícil nas eleições do ano passado. Isso já vem definhando há muito tempo. Não se tinha um governador do DF. A nossa bancada de deputados chegou a ter oito distritais eleitos pelo partido; hoje, só temos um. Então, isso é a prova de que o partido precisa entrar em uma marcha de renovação. A oxigenação vem de novos quadros na política”, disparou.

O nome preferido por Ibaneis para o comando da legenda é justamente o do presidente da CLDF. “Camarada jovem, que tem muita disposição para realizar pelo partido. Teve votação em quase todas as cidades do DF. Acredito que ele está legitimado a assumir a presidência do partido. A Ericka Filippelli pode ser a vice dele. Ela tem um vínculo com o Filippelli, mas é uma pessoa que teve 5 mil votos na primeira eleição e desenvolve um grande trabalho à frente da Secretaria da Mulher”, argumentou o governador.

O presidente nacional da legenda, Romero Jucá, disse, em 25 de abril, que é preciso fortalecer o MDB. “A presença do governador e do presidente da Câmara são importantes. Vou procurar uma solução de entendimento”, acrescentou.

Polêmica
No atual mandato, Filippelli está à frente do MDB-DF desde outubro de 2015. O emedebista evita polêmica. Tem dito que ficou sabendo do pedido por meio da imprensa. Nesse sábado (27/04/2019), afirmou não haver nenhum fato novo. Conforme registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o comando de Filippelli tem vigência até 31 de maio.

Prudente ainda não se pronunciou além do documento, pois, segundo pessoas próximas a ele, considera essa uma questão interna do partido. Na última quarta-feira, Ibaneis assinalou não ter interesse em cargo na sigla.

O governador disse nesta segunda que ainda crê em um entendimento interno. “Eu até tentei uma conversa preliminar, não consegui. Então, ingressei com um pedido de dissolução do diretório regional, mas acredito que as coisas vão se acomodar. O atual presidente, Filippelli, é uma pessoa que tem um grande conhecimento político, tem uma vida na história da política do DF. E eu confio muito na razão. Acho que chegou a hora de se dar razão”, comentou.

Últimas notícias