*
 

O ex-governador Joaquim Roriz, 81 anos, foi internado no Hospital Home, localizado na 613 Sul. Essa é a segunda vez em menos de um mês que ele volta à unidade de saúde. Em 20 de março, o político amanheceu com vômitos e a família preferiu interná-lo devido ao quadro debilitado em que se encontrava. Nesta quinta-feira (12/4), precisou de atendimento novamente por ter apresentado febre alta.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Home, Roriz foi liberado no fim da tarde, após exames. Fontes ligadas à família afirmam que foi necessário ir até a unidade para pesquisar o quadro febril do ex-governador, que é paciente renal crônico e diabético. Ele ficou internado em observação após receber medicação intravenosa para baixar a temperatura, uma vez que a família não conseguiu controlar a febre do político em casa.

Além dessas enfermidades, o político tem problemas cognitivos. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) atestou a insanidade mental de Joaquim Roriz. De acordo com o parecer médico, ele sofre de síndrome demencial de etiologia mista, decorrente de Alzheimer e problemas vasculares, em estágio grave, com intensa repercussão sobre sua autonomia.

Em fevereiro deste ano, por decisão judicial, ele deixou de responder ao processo que trata de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o Edifício Monet, em Águas Claras. Ele e membros da família foram acusados de receber apartamentos em troca de favores. O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Brasília, André Ferreira de Brito, homologou o exame do IML que atestou o fato de o ex-governador não ter compreensão da denúncia de corrupção contra ele.

Amputação
O quadro de saúde se agravou nos últimos anos. Em agosto de 2017, o Metrópoles revelou que Roriz precisou amputar dois dedos do pé esquerdo por causa do agravamento da diabetes. O político voltou ao hospital 11 dias depois e, dessa vez, teve a perna direita amputada na altura do joelho.

Dois anos antes, em novembro de 2015, o político ficou quase uma semana internado após um quadro de hipertensão e taquicardia e precisou fazer um cateterismo.

O patriarca da família Roriz governou o DF por 14 anos. Em 2006, foi eleito senador. Iniciou o mandato em 2007 e renunciou após cinco meses para escapar de um eventual processo de cassação devido ao escândalo da Bezerra de Ouro.