O PTB-DF mudará de comando. O presidente regional do partido e ex-candidato a vice-governador, Alírio Neto, procurou, na quarta-feira (21/11), o presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson, para entregar o cargo após as eleições deste ano. De acordo com Alírio, seu objetivo enquanto dirigente partidário não foi cumprido, o que o levou à decisão.

“Eu tenho que fazer uma autocrítica: prometi 40 mil votos e não entreguei. Conversei com o Roberto e ele, a princípio, não aceitou, mas disse que deveríamos resolver internamente como vai ocorrer a transição”, afirmou Alírio.

A mudança será conduzida pelo próprio Alírio Neto, a pedido de Roberto Jefferson. Segundo um ofício endereçado a ele e entregue na manhã desta quinta-feira (22/11), o comando será dissolvido por não ter alcançado a cláusula de desempenho do partido, que prevê a necessidade de eleger ao menos um deputado federal e parlamentares no âmbito regional. É o caso do DF e de outros dois estados.

O documento diz que o ainda presidente deve escolher entre sete e 21 nomes para compor uma comissão provisória, até as novas eleições. O documento, contudo, não determina o afastamento ou a destituição da presidência regional.

Debandada
Alírio compôs chapa com a ex-deputada distrital Eliana Pedrosa (Pros). Favoritos no início da campanha, eles não alcançaram o segundo turno, o que pode ter encerrado a carreira eleitoral de Alírio.

“Eu vou deixar a presidência, mas não o partido. Entretanto, junto com minha família, decidi que não irei mais concorrer a nenhum cargo”, concluiu o ex-deputado distrital.

A informação do pedido de Alírio causou uma saída em massa do PTB-DF. Pelo menos quatro nomes, após saberem da decisão, também entregaram seus cargos. Entre eles, o secretário-geral do partido, Wallisson Perônico.

“Não faz sentido a gente permanecer. Viemos com o Alírio e vamos nos manter fiéis a ele. Se ele pediu para sair, vamos acompanhá-lo”, comentou Perônico.