Policial civil mata Pit-bull que atacava homem e é conduzido pela PM à DP

Pedestre foi levado ao hospital com ferimentos no pescoço, tórax e braço. Episódio aconteceu neste sábado (09/05), na Vila Planalto

atualizado 09/05/2020 19:56

Um policial civil aposentado foi levado à delegacia após matar a tiros um cachorro da raça pit-bull. O animal teria atacado duas pessoas na Vila Planalto (DF), na manhã deste sábado (09/05).

O pit-bull e outro cão andavam na rua sem focinheira. Uma das vítimas, identificada como José Rinaldo Barbosa, de 45 anos, foi levada para o Hospital de Base, na Asa Sul, com ferimentos no pescoço, tórax, mão e antebraço. Apesar da gravidade, estava orientada e estável.

O Corpo de Bombeiros (CBMDF) e a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foram acionadas durante a operação.

Após aplicar, segundo testemunhas, um “mata-leão” no homem que disparou contra o animal, policiais militares o conduziram para a delegacia, junto ao dono dos cachorros.

Testemunhas, contudo, relataram ter ficado indignadas pela forma como os PMs abordaram o policial civil, que teria salvado o homem do ataque.

O agente aposentado teve a arma de fogo apreendida, pois estava com o registro vencido. O dono do animal, por sua vez, foi autuado por “omissão de guarda e cautela com animais”.

Sinpol critica abordagem da PM

Em nota, o Sindicato dos Policiais Civis do DF repudiou a abordagem da equipe da PMDF. “Os policiais militares passaram a tratar o herói daquela situação grave como um bandido, apesar dele ter falado claramente que era um policial civil”, diz o texto.

O Sinpol ainda afirma que os PMs começaram a tratar o agente com violência quando ele se identificou. “Bastou isso para que o comportamento dos policiais militares se modificasse. Após terem pedido a documentação do policial civil, ele disse que estavam em seu carro. E assim que ele se dirigia para o carro, os policiais militares lhe aplicaram uma gravata no pescoço, sem que ele oferecesse qualquer tipo de conduta contrária a lei penal”.

A entidade finalizou ressaltando acompanhar o caso e pedirá “à Corregedoria da PMDF que tome as providências cabíveis”. O Sinpol defende que os militares sejam autuados em crime de abuso de autoridade.

O que diz a PMDF

A comunicação social da PMDF, também em nota, ressaltou que o “ouve disparo de arma de fogo em via pública e o cão foi morto em legítima defesa”. E esclarece que o agente só foi conduzido à 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) porque o registro de sua arma apresentava irregularidade”.

“O policial civil que efetuou o disparo em via pública foi conduzido à 5ª DP para registro da ocorrência. A arma do policial ficou apreendida na DP por estar com irregularidade administrativa. A ocorrência ficou registrada por disparo de arma de fogo em via pública, lesão corporal contra o dono do cão e falha na guarda ou cautela do cão”.

A Direção Geral da PCDF disse aguardar as conclusões das investigações para fazer manifestação específica.

Últimas notícias