PMs do DF fazem vaquinha para ajudar cadelas vítimas de maus-tratos

As três cachorras foram salvas na noite desse domingo (25/10) e precisam de um novo lugar para morar

atualizado 26/10/2020 19:12

Material cedido ao Metrópoles

Após prender em flagrante, na noite de domingo (25/10), o dono de três cadelas por maus-tratos, policiais militares do 4º Batalhão se mobilizam para conseguir que elas passem a receber melhores cuidados. O caso ocorreu na zona rural do Guará.

Revoltados com a maneira que os animais eram mantidos, moradores denunciaram o caso e encaminharam fotos à Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), que constatou o crime de maus-tratos.

“Chegamos na chácara e vimos que eram três cadelas na mesma situação. Água que não era trocada, coleira fixa e a alimentação era praticamente apenas com ração de galinhas”, explica o sargento Bruno Cunha, que participou da operação.

Sem conseguir se movimentar direito, uma das cadelas, inclusive, acabou machucando o pescoço e abrindo uma ferida que estava exposta e sem tratamento. “Já tinha um cheiro forte de carne podre. É uma coleira que, se a cadela crescesse ou engordasse mais, morreria sufocada”, diz.

Confira:

Vaquinha

Com todos os elementos colhidos, os PMs prenderam em flagrante o tutor das cachorras e o levaram à 4ª Delegacia de Polícia (Guará). As cadelas foram levadas pela própria PM a uma clínica veterinária para receberem atendimento.

“Tudo está sendo pago do nosso próprio bolso. A corporação nos ajudou com ração, mas o resto é de uma vaquinha que fizemos entre os próprios policiais”, relata o sargento Cunha.

Duas cachorras já foram liberadas e irão para um abrigo provisório. A terceira ainda precisa de melhor tratamento para curar as feridas. “Infelizmente, não vamos conseguir fazer muito mais que isso. Nossa intenção é doar essas cadelas para quem puder cuidar”, ressalta o policial militar.

Veja fotos das cadelas: 

0

Os interessados em adotar alguma das três cadelas pode entrar em contato diretamente com o sargento Bruno Cunha pelo telefone (61) 98186-8589.

Últimas notícias