PMDF quer fazer novo concurso com 2.100 vagas para soldado no final de 2021

Polícia Militar trabalha junto ao Governo do DF com o planejamento para obter as autorizações necessárias para a realização do certame

atualizado 11/11/2020 19:10

PMDFRafaela Felicciano/Metrópoles

Aqueles que sonham em seguir carreira policial e não obtiveram aprovação nos últimos certames, estão próximos de terem uma nova oportunidade. Isso porque a Polícia Militar do DF (PMDF) atua nos bastidores com o planejamento de novas provas para o final de 2021.

Ainda sem data ou divulgação de edital definidas, a corporação trabalha perante o Governo do Distrito Federal (GDF) para obter liberação e realizar o concurso.

No entanto, o novo edital só deve ser publicado após o preenchimento das vagas restantes do concurso anterior.

Confira na íntegra a nota:

A Polícia Militar do Distrito Federal já trabalha com o planejamento para obter as autorizações necessárias no intuito de realização do concurso para soldado com 2.100 vagas.

A realização do concurso a princípio será para o final de 2021, somente após o preenchimento de todas as vagas do concurso anterior“, diz o comunicado, emitido pela corporação.

Preparação

Ao Metrópoles, o delegado e professor de direito penal e processual penal no Gran Cursos Online, Érico Palazzo, comenta que embora tenha sido planejado um número de vagas, ele pode sofrer alteração.

“É preciso ver se este concurso vai ser aprovado e se essas 2.100 vagas serão autorizadas. Ainda existem cerca de 1500 pessoas aprovadas que precisam fazer o curso de formação para tomar posse”, revela.

A aprovação a qual o especialista se refere trata-se do último concurso da PM no Distrito Federal, ocorrido em 2018. Por conta da pandemia do novo coronavírus, os chamamentos foram interrompidos e precisaram ser escalonados.

“É importante que essas pessoas do concurso anterior tomem posse. Se acontecer [o certame] no fim do ano que vem, as primeiras posses serão só no segundo semestre de 2022”, aponta.

Já sobre os estudos, Palazzo entende que há tempo suficiente para os candidatos se prepararem. “Como o último foi em 2018, não há mistério:é estudar as matérias”, diz. São elas: língua portuguesa, inglês, matemática, raciocino lógico, direito penal, direito processual penal, direito penal militar, atualidades e legislação aplicada criminologia.

“Outra ponte é o Teste de Aptidão Física (TAF), onde muitas pessoas reprovam. É muito conteúdo, muita coisa para ser estudada, mas o tempo que tem é bom”, finaliza.

0

Últimas notícias