Piloto morto após queda de helicóptero no Pantanal ganha homenagem no DF

Veículos com rotolights ligados e sobrevoo de helicópteros marcaram a despedida do comandante Renato de Oliveira Souza

atualizado 29/10/2020 15:59

Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

A Direção-Geral da Polícia Civil do Distrito Federal  (PCDF) realizou nesta quinta-feira (29/11), uma homenagem póstuma ao agente Renato de Oliveira Souza, no estacionamento da sede da corporação, no Parque da Cidade.

O agente da PCDF que pilotava o helicóptero da Força Nacional que caiu no pantanal, em 8 de outubro, morreu na madrugada de terça-feira (27/10). Ele passou mal na noite de segunda (26/10), sentiu falta de ar, chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Rio de Janeiro.

A homenagem desta quinta-feira reuniu os servidores em veículos com rotolight ligados e sobrevoo de helicópteros em memória ao comandante, no momento em que ocorria o sepultamento dele, no Cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Assista ao vídeo das homenagens:

Drama

Souza havia recebido alta na quarta-feira (21/10). A suspeita é de tromboembolismo pulmonar.

O policial de Brasília chegou a ficar internado em um hospital de Cuiabá antes de retornar ao Rio, onde mora a família. Por meio de mensagens nas redes sociais, familiares lamentaram a morte do policial.

O irmão dele narrou, em áudio enviado aos amigos, que percorreu diversos hospitais do Rio com a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), antes de conseguir atendimento médico para Souza. “Renato agora está voando mais alto, que voe para sempre”, disse uma sobrinha.

Acidente

No acidente com o helicóptero no Pantanal, Renato foi resgatado com Luiz Fernando Berberick, da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ), e o 2° sargento da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) Emerson Miranda Martins.

Todos foram retirados por um helicóptero da Marinha do Brasil e encaminhados até Cuiabá, para atendimento médico. O transporte foi em unidade de terapia intensiva (UTI) aérea do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) de Mato Grosso.

0

Últimas notícias