Paulo Chagas acusa adversários de tentarem associar Fraga a Bolsonaro

Candidato do PRP ao GDF admite que ainda precisa se tornar conhecido entre o eleitorado do Distrito Federal

atualizado 05/09/2018 16:31

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O candidato do PRP ao governo do Distrito Federal, General Paulo Chagas, acusou adversários de tentarem associar o favorito nas pesquisas à sucessão presidencial, Jair Bolsonaro, à candidatura do rival Alberto Fraga (DEM), um dos principais nomes da chamada “bancada da bala” no Congresso.

“Muita gente quer enganar o povo, dizendo que Bolsonaro é 25 (número de Fraga), mas ele (Bolsonaro) mostrou aqui o que eu sempre soube. Porque eu não entrei nesse jogo sem ter primeiro o apoio dele”, disse Paulo Chagas, após carreata ao lado do presidenciável pelo PSL. “Antes de iniciar essa caminhada, eu me aconselhei com ele. Eu não entro em jogo para perder. Tenho chances”, completou.

O candidato do PRP tirou o máximo proveito da passagem pelo Distrito Federal do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, durante a carreata promovida por apoiadores de ambas as candidaturas em Ceilândia. O presidenciável declarou apoio ao postulante ao GDF: “Vamos ter, se Deus quiser, um governador que ame sua pátria, respeite seu povo, para que tenhamos dias melhores para o Brasil”, afirmou o presidenciável do alto de um dos carros de som.

Bolsonaro, por sua vez, procurou demonstrar uma ligação afetiva com a região. Enquanto discursava, Bolsonaro arremessou do alto do carro de som o boneco inflável que faz referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, liderança do PT, preso em Curitiba.

“A minha esposa é da Ceilândia. Vamos ter uma primeira-dama da Ceilândia ou não vamos?”, disse o Presidenciável pelo PSL ao iniciar a carreata puxada por três carros de som, seguidos ainda por outros veículos. “Falta escolhermos quem tem competência e responsabilidade para comandar esse país. Sou um patinho feio nessa história, mas, com o povo brasileiro, seremos bonitos no futuro”, completou o candidato.

0

 

Paulo Chagas estava empolgado com a visibilidade: “Você verá o sucesso que vai ser”, disse ainda antes do ato. O candidato admitiu, porém, que ainda precisa percorrer mais chão até conseguir se tornar conhecido entre o eleitorado do Distrito Federal. “Esse evento reuniu muita gente. Isso é um testemunho e significa que as pessoas do DF estão apoiando Bolsonaro e Paulo Chagas. Para mim, em particular, essa carreata teve um significado especial”, acrescentou, ao término do evento.

O ato de campanha começou após uma hora de concentração, programada para as 9h desta quarta-feira (5/9). Após tumulto e desorganização, a carreata teve início, saindo de Ceilândia Norte em direção a Taguatinga. Logo na largada, uma falha no planejamento do ato provocou um encontro entre os apoiadores de Bolsonaro e Paulo Chagas com entusiastas da candidatura de Ibaneis Rocha (MDB) ao governo do Distrito Federal. Apesar do clima de disputa eleitoral, não houve hostilidade.

“Essa é a virada da bandeira. Agora, começa a nossa campanha. A carreata ainda não é suficiente. As pessoas têm que me conhecer, conhecer a minha proposta. Estou à disposição”, disse o candidato ao Palácio do Buriti.

Conforme mostrou o Metrópoles, a carreata promovida pelo presidenciável do PSL percorre redutos eleitorais que renderam vitória à adversária Marina Silva na disputa de 2014. Bolsonaro participa do ato acompanhado do general Paulo Chagas (PRP).

 

Mais lidas
Últimas notícias