Cronos II: policiais prendem dois membros do Comando Vermelho

As prisões ocorreram em Luziânia, no Entorno do DF. Operação ocorre em 21 estados e no Distrito Federal

Divulgação/PCDFDivulgação/PCDF

atualizado 28/05/2019 13:09

Policiais de 21 estados e do Distrito Federal deflagraram, nesta terça-feira (28/05/2019), a segunda fase da Operação Cronos. A ação, que tem o apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), mira em criminosos com mandados de prisão em aberto por homicídio e feminicídio e é coordenada pelo Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC).

Até as 11h, 199 pessoas foram presas, sendo 177 por homicídios e 22 por feminicídios. A polícia apreendeu sete adolescentes. Novo balanço com os dados consolidados da operação será divulgado às 17h.

Dois homens da facção criminosa carioca Comando Vermelho foram presos em Luziânia, cidade goiana no Entorno do Distrito Federal. Eles são acusados de matar três policiais militares no Pará. As vítimas estavam dentro da viatura e foram alvejadas há cerca de um ano.

Um dos acusados é Manoel Barbosa dos Santos Junior. O outro ainda não havia sido identificado até a última atualização desta reportagem. Eles foram presos por policiais do Departamento de Operações Especiais (DOE).

O diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e presidente do CONCPC, Robson Cândido, comentou que os números estão bastante reduzidos em relação à primeira fase da operação realizada em agosto do ano passado. “Acreditamos que a redução é superior a 20% a nível nacional”, disse o delegado.

“Em Brasília, temos uma divisão de combate exclusivamente a crime de facções criminosas e podemos dizer que o crime organizado no DF não existe. Facções tentaram trazer essa ilusão para dentro da capital, mas a PCDF monitora isso 24 horas”, acrescentou Cândido.

No DF, até o momento, foram 23 prisões por homicídios e nenhuma por feminicídio. São mais de 200 policiais nas ruas. Calcula-se que pelo menos 500 suspeitos estejam foragidos no país.

A força-tarefa desta terça é um exemplo de trabalho integrado considerado foco do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), em vigor desde junho de 2018, após a sanção da Lei nº 13.675/2018. A iniciativa conta com a atuação das polícias, governo, estados e municípios para combater crimes contra a vida.

“Vamos ter cada vez mais operações nacionais e sobretudo, operações integradas, no combate ao crime, buscando a segurança dos brasileiros e visando tirar de circulação criminosos violentos”, afirmou o secretário-executivo do MJSP, Luiz Pontel.

A primeira etapa da operação ocorreu em agosto de 2018. Na ocasião, quase cinco mil policiais em todo o país colocaram atrás das grades pelo menos 643 pessoas.

Elas são acusadas de homicídio, feminicídio e descumprimento de medidas protetivas previstas na Lei Maria da Penha. Sessenta e um adolescentes também foram apreendidos.

Assista a atuação dos policiais em diversos estados:

Aguarde mais informações

Últimas notícias