ONG Salve a Si inaugura casa para mulheres dependentes químicas no DF

Entidade pede ajuda dos brasilienses para garantir o funcionamento da operação. Objetivo é abrigar até 30 mulheres no imóvel

atualizado 05/07/2020 16:12

Nova casaSalve a Si/Divulgação

A comunidade terapêutica Salve a Si inaugurou uma casa de acolhimento para abrigar mulheres dependentes químicas em busca de tratamento. A nova operação depende da solidariedade da população para garantir seu funcionamento até que a entidade consiga apoio governamental.

Localizado em São Sebastião, o centro de tratamento abrigará até 30 mulheres e gestantes. É a segunda casa da Salve a Si. Atualmente, 130 homens com idades entre 18 e 70 anos já são ajudados pela iniciativa.

O fundador Henrique França afirmou que os gastos mensais para manter a nova estrutura giram em torno de R$ 15 mil. Por isso, ele pede ajuda dos brasilienses com doações.

“Como é uma instituição que trabalha com atendimento gratuito, lançamos essa campanha onde as pessoas podem ajudar, todo mês, com a quantia que puderem. O ideal seria que conseguíssemos 150 pessoas para doar R$ 100 ao mês”, explica.

A Salve a Si também está recebendo doações de mobiliário, roupas de cama, vestimentas e alimentos. “Tudo que as pessoas puderem doar é muito bem-vindo para a gente”, reforça França.

As informações para doações podem ser encontradas na imagem abaixo. A Organização Não-Governamental (ONG) também disponibiliza uma plataforma on-line para as doações (clique aqui).

0

 

Últimas notícias