No DF, Outubro Rosa não terá mutirões de atendimento da Saúde em 2020

Devido à pandemia, reforço na prevenção do câncer de mama será adiado para 2021, mas campanha informativa e consultas estão mantidas

atualizado 01/10/2020 21:19

iStock

O mês de prevenção e enfrentamento do câncer de mama, o Outubro Rosa, não terá mutirões de atendimento preventivo e de reconstrução mamária no Distrito Federal, como acontece todos os anos. Segundo a Secretaria de Saúde, a medida é necessária para evitar a disseminação do novo coronavírus. A divulgação de informações contra a doença, contudo, está mantida, assim como o agendamento de consultas na rede pública.

A campanha chama a população feminina, principalmente mulheres de 50 a 69 anos, para fazer seus exames anuais, como a mamografia. Além disso, o Outubro Rosa deste ano tem a expectativa de alertar a população para a importância da solicitação do exame citopatológico, para detecção de alterações nas células do colo do útero, com o objetivo de ampliar a cobertura.

Programação

De 1º a 17 de outubro, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges/DF) em parceria com a Rede Feminina de Combate ao Câncer e Secretaria da Mulher (SMDF) farão ações com o objetivo de alertar sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama.

As mulheres poderão marcar consultas e exames de mamografia, que serão disponibilizados pela Rede Feminina de Combate ao Câncer, Hospital de Base e Regional de Santa Maria (HRSM), além da unidade móvel, o Ônibus da Mulher, da Secretaria da Mulher. Também será possível agendar atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

A marcação das consultas e exames para o Hospital de Base e HRSM estará disponível por meio do telefone 3550-8900, ramal 9016. As vagas são limitadas.

Haverá orientações sobre a prevenção ao câncer de mama com entrega de panfletos e adesivos, além da inauguração do Salão Rosa Solidário, da Rede Feminina de Combate ao Câncer, localizado no Jardim do Hospital de Base. Ao longo do mês, acontecerão webinários com a participação de profissionais que alertarão sobre a doença.

Estima-se como público da campanha mulheres de 50 a 69 anos, atendendo o que preconiza o Ministério da Saúde quanto à mamografia de rastreamento – exame de rotina em mulheres sem sinais e sintomas de câncer de mama, que é recomendada nessa faixa etária. (Com informações da Secretaria de Saúde do DF)

0

 

Últimas notícias