metropoles.com

Vídeo. Personal bêbada que destruiu bar no DF xinga PMs: “Seus merdas”

Transtornada e sob efeito de álcool, a mulher foi presa por desacato. O filho dela, de 17 anos, foi apreendido acusado de dano ao patrimônio

atualizado

Reprodução
Mulher xingando PM

A personal trainer Janaína Gomes Bordini Fagundes, de 42 anos, presa na noite do último sábado (22/10) após destruir um bar foi filmada xingando a guarnição de policiais militares acionada para atender a ocorrência. Transtornada e sob efeito de álcool, a mulher foi detida por desacato. O filho dela, de 17 anos, foi apreendido acusado de dano ao patrimônio e agressão.

Nas imagens gravadas nos fundos do estabelecimento, em uma área verde, a personal se irrita quando é cercada pelos militares. “Esses merdas estão levando meu filho de 17 anos para a DCA. Vocês são uns desgraçados. Estudou pra isso, desgraçado? Estudou pouco, seu merda; estudou pouco, desgraçado. Vai estudar mais, seu merda”, esbravejava a personal.

Em seguida, um dos policiais puxa o braço de Janaína após informá-la que ela estava presa por desacato. Uma PM feminina auxiliou a algemar a personal. Em seguida, a mulher ainda gritou, exigindo que a filha, de 12 anos, filmasse a ação da PM para que fosse “usada como prova”.

Veja vídeo da personal sendo presa:

 

O caso

Na noite de sábado, Janaína estava com o marido, o comerciante Felipe Guimarães Parreira, 38 anos, e os dois filhos, o rapaz de 17 anos e uma adolescente de 12, no bar Versão Brasileira, na 204 Sul.

À Polícia Militar, um dos responsáveis pelo estabelecimento disse que a família chegou ao local por volta das 19h. Pouco mais de três horas depois, a mulher, já embriagada, teria começado a arremessar mesas e cadeiras na pista, quebrando copos e garrafas. Em seguida, Janaína teria ido ao caixa dizendo que havia perdido o celular e que queria o aparelho de volta.

De acordo com a polícia, o gerente tentou acalmar a mulher, mas ela pegou uma impressora do caixa e jogou contra um funcionário do bar. Depois disso, a personal ainda teria agredido o próprio marido e os filhos.

Veja fotos do momento da prisão:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

 

O marido também foi autuado em flagrante na 1ª DP (Asa Sul) por dar bebida alcoólica para o filho menor de idade. Já o adolescente foi autuado na Delegacia da Criança e do Adolescente I (DCA I). Janaína e Felipe pagaram fiança de R$ 3,5 mil cada e foram liberados.

O outro lado

Ao Metrópoles, Janaína disse que o filho dela “foi espancado por mais de 10 seguranças. “Ele só está vivo porque eu tive que me jogar em cima dele. Nos tiraram do bar e espancaram meu filho. A minha filha de 12 anos também foi atingida. Então foi algo gravíssimo”, narra.

Ela conta que deixou o celular carregando no caixa do estabelecimento e que, quando foi pegar o aparelho, ele não estava lá. “Eu arrumei uma confusão, o segurança tentou me conter e meu filho não gostou dessa situação, então tentou me defender. Nisso, o segurança tirou a gente por trás do bar”, diz.

“Eu agi errado, mas os seguranças deveriam apenas conter a situação. Tinham que tirar a gente e acabou. Agora, espancar meu filho? Até minha filha apanhou nessa história”, completa a personal.

De acordo com ela, a polícia teria ouvido apenas a versão dos seguranças do bar. “Eu achei que iriam resolver a situação, mas eles prenderam a gente. Só que meu filho estava sangrando, então eu fiquei louca com isso e acabei presa por desacato”, comenta.

Ela diz que a família já está movendo uma ação na Justiça contra o bar.

Veja imagens do jovem enviadas por Janaína:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

O que diz o bar

Em nota, o Versão Brasileira disse que “o gerente da casa se colocou à disposição para ver as câmeras de segurança e se comprometeu a resolver o problema, mas, mesmo assim, Janaína continuou alterada. Inclusive, deu um tapa no rosto do seu filho e agrediu seu marido”. Segundo o bar, em uma das filmagens, é possível ver Janaína pegando de volta o seu aparelho celular no caixa do estabelecimento. “O Versão Brasileira já cedeu as filmagens para a Polícia Civil e as mesmas serão apresentadas em juízo”, disse o estabelecimento.

“Por fim, o Versão Brasileira reitera que não compactua com qualquer forma de violência, constrangimento ou maus-tratos e zela pelo respeito e boa convivência de seus clientes”, finalizou o bar.






Quais assuntos você deseja receber?