Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

PM que tentou matar jovem recebeu R$ 655 mil em salários pós-crime

Francisco Assis Victor Neto tentou matou jovem de 15 anos em 2012, foi condenado em 2015 e recebia salário bruto de R$ 12 mil até setembro

atualizado 13/11/2021 14:56

viatura Myke Sena/Esp. Metropoles

Sete anos após ser condenado pela tentativa de homicídio qualificado do adolescente Samuel Vítor Boaventura Melo, 15 anos, o subtenente da Polícia Militar do DF (PMDF) Francisco Assis Victor Neto só foi excluído da corporação sem benefícios na quarta-feira (10/11). Segundo o Portal da Transparência, ele recebeu salário bruto de R$ 12 mil ao longo dos primeiros nove meses de 2021.

O crime ocorreu em 2012. Conforme os autos do processo, após discussão em uma casa de festas em São Sebastião, o PM atirou contra o jovem quando ele estava de costas. O Tribunal do Júri considerou que Francisco tentou matar a vítima por motivo fútil, além de utilizar meio que impossibilitava a reação do adolescente. A condenação foi de 8 anos de prisão.

Em 2017, o policial chegou a ser excluído “ex-officio das fileiras da corporação”, mas defendeu na Justiça que a decisão definia apenas a perda do cargo público, e não a cassação da aposentadoria. Francisco Neto chegou a ficar dois anos sem receber, mas conseguiu reverter a situação.

Dessa forma, um novo processo perdurou por mais alguns anos, até a expulsão definitiva “sem direito a manutenção dos proventos”, conforme redação do DODF desta semana. De acordo com o Portal da Transparência, há registros de remunerações pagas ao subtenente nos anos de 2015, 2016, 2017, 2020 e 2021. Somados, os vencimentos de todos esses anos chegam a R$ 655.465,91.

0

 

Conforme é possível extrair do site, neste ano de 2021 Francisco ganhou salário bruto de R$ 12.203,71 até setembro.

Remuneraçao Basica Francisco PM by Metropoles on Scribd

O que dizem os envolvidos

Procurada, a defesa de Francisco informou que a decisão não é definitiva e vai recorrer. Já a PMDF não respondeu ao questionamento da reportagem até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto para eventuais manifestações.

Mais lidas
Últimas notícias