Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

PF investiga ex-dirigentes do BB Consórcios por fraude de R$ 200 mi

Mandados são cumpridos nesta quarta-feira (6/4) no Distrito Federal e em mais duas unidades da Federação

atualizado 06/04/2022 11:32

Polícia Federal PF/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (6/4), operação no Distrito Federal e em mais duas unidades da Federação para apurar suspeita de gestão fraudulenta no BB Consórcios. O prejuízo estimado é de R$ 200 milhões. A coluna apurou que um dos alvos é o ex-diretor comercial da BB Consórcios, Paulo Ivan Rabelo, e um ex-presidente do banco.

A ação, batizada de Operação Consórcio 200, mobilizou ao menos 20 policiais federais para cumprir oito mandados de busca e apreensão na capital federal e em São Paulo e no Paraná.

O inquérito, instaurado no ano passado, teve origem após encaminhamento pelo Banco do Brasil de notícia-crime com o resultado da auditoria de duas operações, no valor de R$ 100 milhões, aprovadas como consórcio de veículos, mas utilizada para outros fins.

O pagamento, inclusive, não foi executado de forma regular, o que obrigou o Banco do Brasil a cobrir parte do contrato.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Segundo a PF, a operação financeira pode ser caracterizada como gestão fraudulenta – crime contra o sistema financeiro nacional, cuja pena é de reclusão de três a 12 anos e multa.

O uso do produto da fraude, após a análise das quebras de sigilo fiscal e financeiro, pode caracterizar também crime de lavagem de dinheiro.

O outro lado

O Banco do Brasil informou, por meio de nota, que assim que identificou irregularidades em sua subsidiaria BB Consórcios, informou às autoridades policiais, que iniciaram as investigações.

Confira a nota na íntegra:
“As irregularidades na subsidiária BB Consórcios foram identificadas pelo sistema de auditoria do Banco do Brasil, em 2021.

Assim que as primeiras informações sobre processos em desacordo com as normas da empresa foram apuradas, o Banco do Brasil tomou providências imediatas. Sendo a primeira delas, a comunicação às autoridades policiais. O BB também se colocou à disposição para prestar todas as informações

Em agosto de 2020, o BB destituiu os executivos da BB Consórcios investigados e nomeou novos gestores para facilitar a apuração completa dos fatos e dar continuidade à gestão da empresa.

Todo esse esforço do BB teve relevante contribuição para o avanço das investigações pelas autoridades policiais.

O BB destaca que praticamente todos os valores envolvidos nas irregularidades foram recuperados pela BB Consórcios, como resultado das medidas adotadas durante as apurações.”

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias