metropoles.com

PCDF faz megaoperação contra fraude no concurso da Polícia Penal do DF

Policiais cumpriram 33 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e nos estados da Bahia, da Paraíba e de Pernambuco

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
Operação da PCDF contra fraude no concurso da Polícia Penal do DF
1 de 1 Operação da PCDF contra fraude no concurso da Polícia Penal do DF - Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (9/3), a Operação Reação em Cadeia, para apurar suspeitas de fraude no concurso público da Polícia Penal do Distrito Federal, realizado no ano passado. Ao todo, 33 pessoas teriam fraudado o concurso.

A ação é coordenada pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco/Decor) e tem apoio das polícias civis de Pernambuco (PCPE) e da Paraíba (PCPB). As equipes cumpriram 33 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e nos estados da Bahia, da Paraíba e de Pernambuco, para recolher documentos, celulares, entre outras provas.

A operação, que teve participação de 240 policiais civis, é resultado de diligências iniciadas a partir de informações repassadas à Polícia Civil pela Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape). Levantamentos revelaram que alguns candidatos teriam burlado a isonomia do concurso e se beneficiado indevidamente para aprovação no certame.

0

Operação conjunta

A PCPE, por meio da Diretoria de Inteligência (Dintel) e do Comando de Operações e de Recursos Especiais (Core), deu apoio operacional, com cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Recife, Caruaru, Toritama e Vitória de Santo Antão — estas três últimas na região metropolitana do estado.

A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da PCPB cumpriu dois mandados, nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. E uma equipe da PCDF se deslocou até a cidade de Jacobina (BA), onde fez buscas em um endereço, enquanto outra equipe da corporação distrital deu continuidade aos trabalhos em Brasília.

Caso as irregularidades sejam comprovadas, os envolvidos poderão responder pelos crimes de fraude a certame de interesse público, organização criminosa e falsificação de documento público, com penas que, somadas, chegam a 15 anos de prisão.

O concurso da Polícia Penal do DF oferece 400 vagas imediatas e 779 para cadastro reserva. O salário inicial é R$ 5.445.

Repressão

A operação compõe uma série de investigações promovidas desde 2015 pela PCDF sobre fraudes que buscam a aprovação de candidatos em concursos públicos.

Nas operações Panoptes e Magister, e nas demais fases delas, os policiais identificaram fraudes nos concursos públicos do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), das secretarias de Educação (SEDF) e Saúde (SES-DF), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e do Ministério Público da União (MPU).

Até o momento, mais de 70 pessoas foram indiciadas no âmbito dessas investigações, entre integrantes da organização criminosa responsáveis pelas fraudes; pessoas que prestaram algum tipo de auxílio às fraudes; e funcionários públicos aprovados irregularmente em concursos.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações