Mulher queimada com óleo pelo marido sai de casa por medo: “Não durmo direito”

Audiência de custódia acontece nesta quinta-feira (14/10) e a vítima teme que ele seja solto

atualizado 13/10/2021 22:08

A mulher de 40 anos que sofreu queimaduras após o marido jogar óleo fervendo nas costas dela está de mudança. A audiência de custódia do agressor acontece nesta quinta-feira (14/10) e a vítima de violência doméstica tem medo de que o ex-companheiro seja solto.

A agressão aconteceu nessa terça-feira (12/10) na Estância I de Planaltina. A vítima sofreu queimaduras de primeiro grau no pescoço e nos braços. O homem foi preso em flagrante.

“Tem tempo que não consigo me alimentar nem durmo direito, ele sabe onde eu trabalho, sabe onde eu ando, tudo isso aí tá me preocupando”, desabafou a mulher. Ela morava com o agressor na casa da mãe dele. Agora, a família pediu para ela se retirar do imóvel.

“A própria polícia falou que ele pode ser solto, como é que vai ficar minha vida? O certo é ele continuar preso, não desejo que o que aconteceu comigo aconteça com alguém”, afirmou. Ela ainda diz que não consegue trabalhar por causa dos ferimentos.

“Minha patroa está me ajudando, estou sem trabalhar e estou vendo um lugar, devo alugar uma casa amanhã”, explicou a vítima, que trabalha como doméstica. Ela explica que já houve outras agressões no relacionamento, mas nunca tinha chegado a esse extremo de violência.

Agressões

“Ele é uma pessoa totalmente calma sem o álcool, mas com o álcool é muito alterado”, contou. O Metrópoles apurou que a vítima estava em um relacionamento com o autor há três anos. A mulher afirmou à polícia que “o negócio dele é tentar me matar enforcada”.

Na noite de segunda-feira (11/10), o homem saiu com um amigo e levou a bicicleta da mulher. Por volta das 3h, ela saiu para procurá-los e os encontrou embriagados. Na ocasião, ela teria discutido com os dois, uma vez que o amigo do companheiro teria levado a bicicleta sem autorização.

Na manhã de terça, a discussão entre o casal foi retomada. Ela fritava carne para o almoço quando o homem acordou e iniciou a briga, chamando a mulher de “piranha”. Momentos depois, ele jogou o óleo quente da panela nas costas da companheira, a trancou dentro de casa e fugiu, pulando o muro.

Mesmo com as queimaduras, a mulher conseguiu pedir socorro. Policiais militares a levaram para o hospital e, apesar dos ferimentos, o quadro dela é estável. Após o crime desta terça, ela solicitou medidas protetivas.

Últimas notícias