Mulher desaparecida presenciou a morte de marido e dois filhos

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) registrou o caso, preliminarmente, como cárcere privado e sequestro

atualizado 09/06/2021 12:03

Cleonice Marques, mulher desaparecidaArquivo pessoal

De acordo com a Polícia Militar, Cleonice Marques de Andrade (foto principal), 43 anos, estava na casa da família quando o marido e os dois filhos foram assassinados na madrugada desta quarta-feira (9/6). A informação foi dada por parentes das vítimas. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) registrou o caso, preliminarmente, como cárcere privado e sequestro.

O marido e dois filhos da mulher foram encontrados mortos com marcas de tiro e facadas. O caso ocorreu na Fazenda Vidal, na área rural do Incra 9, em Ceilândia Norte. A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS) presta apoio nas investigações.

Veja fotos do local do crime:

0

De acordo com informações da Polícia Militar do DF, os corpos são de dois adultos, de 48 e 21 anos, e de um adolescente, de 15. O Metrópoles apurou que eles foram identificados como Cláudio Vidal de Oliveira, Gustavo Marques Vidal e Carlos Eduardo Marques Vidal, respectivamente. A família morava no local.

O Corpo de Bombeiros atendeu a ocorrência com seis veículos e 22 militares. “Recebemos chamado, via 193, com informações sobre agressão física envolvendo o emprego de uma arma branca. Quando nossas equipes chegaram ao local, encontraram três pessoas. Todas sem vida”, informou o CBMDF, em nota.

A PCDF assumiu a cena do crime para as providências cabíveis. A motivação do triplo homicídio é desconhecida. Há informações de que os investigadores identificaram um possível suspeito.

O Metrópoles conversou com o sargento da PMDF Tiago Gomes, que esteve no local. Ele detalhou que a porta da casa estava arrombada. Os três corpos foram encontrados dentro de um quarto, um deles sobre a cama, e outros dois no chão. De acordo com o PM, a residência não tinha sinais de roubo.

“Os familiares das vítimas moram na residência ao lado. Eles informaram que a família atuava em uma floricultura e não tinha inimizades. Há uma semana, um assalto foi cometido na região, mas eles não souberam informar o que, de fato, ocorreu”, disse o policial. “Não há testemunhas. Os parentes viram apenas uma movimentação suspeita, pensaram que se tratava de roubo, mas, quando entraram na casa, se depararam com os corpos e chamaram a polícia”, completou.

Veja o relato do sargento:

O caso foi registrado na 24ª Delegacia de Polícia (Setor O). A polícia ainda não encontrou as armas usadas no triplo assassinato.

Últimas notícias