MPDFT pede documentos ao GDF para “transparência absoluta” em vacinação 

A força-tarefa do órgão solicitou à Saúde informações sobre quantidade de insumos das primeiras doses de imunização pela Coronacav

atualizado 18/01/2021 18:42

Fachada do Prédio do MPDFTRicardo Botelho / Especial para o Metrópoles

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu à Secretaria de Saúde informações sobre a quantidade de insumos e administração das primeiras doses da vacina contra a Covid-19, além da elaboração de um plano de comunicação com orientações claras à população. O ofício foi encaminhado à pasta nesta segunda-feira (18/1), após o GDF anunciar que a imunização começa nesta terça-feira (19/1), às 10h.

De acordo com as informações da pasta, o DF recebe nesta semana 105.960 doses da vacina Coronavac contra a Covid-19. O coordenador da força-tarefa do MPDFT, procurador de Justiça José Eduardo Sabo, destaca que o acompanhamento para que o processo de vacinação seja transparente e eficiente seguirá como prioridade de atuação do MPDFT.

“Temos acompanhado o Plano de Vacinação Nacional e também, diretamente, o Plano Distrital. Vamos trabalhar para que haja transparência absoluta e orientações disponíveis para cada um dos grupos, em cada uma das etapas de vacinação. São onze meses de uma batalha incessante”, afirmou Sabo.

Entre os pedidos de informação do MPDFT à Secretaria de Saúde estão dúvidas a serem sanadas sobre a administração de doses, o quantitativo de insumos, o controle das pessoas com comorbidade, os locais de vacinação e a imunização dos cidadãos em situação de vulnerabilidade. Também foi solicitada a apresentação de um plano de comunicação que informe de forma clara à população como o processo será desenvolvido no DF.

Garantias

De acordo com o MPDFT, a secretaria garantiu a disponibilidade de materiais como seringas e agulhas e afirmou que, tão logo as doses sejam recebidas, serão transportadas para a central da Rede de Frio, da Secretaria de Saúde, localizada no Setor de Indústrias Gráficas (SIA). O local será responsável por operacionalizar toda a logística de distribuição para as regiões e respectivas unidades de saúde.

De acordo com a Secretaria de Saúde (SES/DF), a vacinação será iniciada por quatro grupos prioritários. No primeiro, estão os profissionais de saúde, idosos acima de 75 anos e pessoas acima de 60 anos que estejam internados em instituições de longa permanência. A segunda fase contemplará pessoas entre 60 e 74 anos. Na terceira, aquelas que têm comorbidades que agravam o quadro da Covid-19. Professores e agentes de segurança integram a quarta fase.

“Isso não quer dizer que nós, sociedade em geral, devamos descuidar dos protocolos de prevenção. Ou seja, o uso de máscaras, a higienização das mãos e o distanciamento se faz necessário. Porque a travessia é longa e a luta para preservar vidas e conter a disseminação do novo coronavírus é um compromisso coletivo”, lembrou Eduardo Sabo.

0

Últimas notícias