MPDFT apura denúncia de espancamento de preso em unidade da Papuda

Durante exame de corpo de delito, preso afirmou que teria levado surra promovida por servidores do sistema penitenciário do DF

atualizado 08/03/2021 14:46

Vista geral da PapudaRafaela Felicciano/Metrópoles

O Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional (Nupri) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) apura denúncia de espancamento contra um preso no Centro de Detenção Privisória (CDP), no Complexo Penitenciário da Papuda. As supostas agressões, segundo o interno, seriam cometidas por servidores do sistema carcerário.

Em ofício enviado ao CDP, em 1º de março deste ano, promotores do Nupri determinaram que o interno fosse submetido a exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Durante o exame, o detento teria sido perguntado pelo legista quem havia cometido as agressões, já que ele apresentava marcas e hematomas por todo o corpo. O preso teria afirmado que a surra havia sido dada por policiais penais.

As supostas agressões teriam vindo à tona durante um dia de visitas, quando a mãe do detento o encontrou com muitos machucados pelo corpo. Ela também denunciou ao MPDFT que seu filho estaria sendo movimentado constantemente pelas celas da galeria, mesmo sem ter problemas de convivência com a massa carcerária.

Promotores do Nupri solicitaram, com urgência, que o sistema prisional adotasse medidas de segurança que resguardassem a integridade física do preso.

O Metrópoles entrou em contato com a Secretaria do Sistema Penitenciário (Seape) para falar sobre a investigação das denúncias. A pasta informou que irá apurar internamente todas as circunstâncias envolvendo o preso em questão.

Últimas notícias