Motorista de ônibus morre de Covid-19 no DF

Miguel Nunes de Souza trabalhava na região de Planaltina. Sindicato reivindica que categoria seja prioridade na vacinação

atualizado 14/05/2021 17:19

Reprodução

O motorista de ônibus Miguel Nunes de Souza, funcionário da empresa Piracicabana, morreu de Covid-19 na última terça-feira (11/5). Miguel, que trabalhava na região de Planaltina, é mais um dos mais de 30 rodoviários que perderam a vida por complicações causadas pelo coronavírus. Ao menos 32 rodoviários já morreram de Covid desde o começo da pandemia, de acordo com o Sindicato dos Rodoviários do DF (Sinttrater).

A categoria vem sofrendo baixas desde o começo da pandemia. O Sinttrater reivindicou que os rodoviários sejam vacinados com prioridade, tendo em vista as condições em que trabalham e a exposição a que estão submetidos. A entidade representativa considera que a previsão de imunização contra a Covid-19 à categoria, da maneira como a campanha está sendo conduzida atualmente, vai demorar para se concretizar.

No ônibus 10 horas por dia

“Um trabalhador rodoviário chega a passar mais de 10 horas por dia no interior de um ônibus, computando o tempo de efetiva jornada e de ida e volta ao trabalho. Durante esse período, mantém contato com centenas de pessoas diariamente – muitas delas, com o vírus. O ambiente de trabalho desses profissionais não pode ser alterado de forma a assegurar maior proteção. Também, os hábitos de deslocamentos da população não podem ser alterados de forma a garantir o distanciamento recomendado pelas autoridades de saúde. Assim sendo, somente a vacinação poderá trazer um pouco mais de tranquilidade”, alega o sindicato.

 

Últimas notícias