Moradores se unem para impedir cortes de árvores na Asa Norte

Segundo relatos dos habitantes da SQN 404, a Novacap não apresentou nenhum laudo que justifique a ação

atualizado 01/10/2020 13:08

Material cedido ao Metrópoles

Moradores da SQN 404, na Asa Norte, reuniram-se, na manhã desta quinta-feira (1/10), contra a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), que planeja derrubar árvores na região. No entanto, segundo relatos, não foi apresentado nenhum laudo que indique a necessidade da retirada.

A partir das 8h, os moradores abraçaram-se às árvores para impedir a retirada. O administrador Jaime Tavares, 32 anos, disse que ninguém foi avisado da poda.

“Entendemos que podar é bom, mas gostaríamos de apenas um laudo. Uma coisa é podar; outra é passar a serra de vez”, reclamou.

0

As árvores em questão ficam em um dos estacionamentos da quadra. Alguns moradores acreditam que alguém pediu a retirada devido à sujeira nos carros.

A empresária Gioconda Bestra, 47, conta que a Novacap deu até as 15h para conseguirem um mandato de segurança que reverta a situação.

“É uma árvore que as crianças brincam, tem muito passarinho. Se elas oferecerem algum risco, não tem problema”, explicou.

“Estamos tentando entender por que a Novacap está tentando cortar. Elas estão, aparentemente, saudáveis. Eles falaram que vão cortar até o fim do dia. São árvores que oferecem sombra, passarinhos, um espaço com qualidade de vida”, ressaltou.

Veja o relato:

O que diz a Novacap

Em nota, a Novacap informou que “o Departamento de Parques e Jardins (DPJ) da Novacap é o órgão autorizado a podar as árvores plantadas nas áreas públicas do Distrito Federal. A companhia realiza o monitoramento da arborização de Brasília, intervindo, sempre que necessário, com podas de formação, de manutenção ou com supressões, quando a avaliação técnica detecta qualquer risco iminente.”

“Todas as solicitações dos cidadãos e das administrações regionais para podas em áreas públicas são vistoriadas e as prioridades são definidas de acordo com o laudo técnico, seguindo as normativas do Decreto nº 39.469/2018“, acrescentou.

 

 

 

 

Últimas notícias