*
 

Um grupo de moradores do Núcleo Rural 26 de Setembro, próximo à Floresta Nacional, entrou em confronto com policiais militares e fiscais da Agência de Fiscalização (Agefis) nesta sexta-feira (9/3). Segundo os moradores, um bebê de sete meses passou mal e teria sido levado ao hospital. Por volta das 16h30, eles fecharam a Estrutural, sentido Taguatinga, já no acesso a Brazlândia. Por volta das 17h, a via foi liberada.

O Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) foi acionado porque as pessoas montaram barricadas, queimaram pneus e fizeram barreiras com contêiners para evitar a entrada dos tratores que derrubariam as construções no Condomínio Cooperville. A tropa usou munição química, como spray de pimenta e gás lagrimogêneo. Os moradores atiraram paus e pedra.

De acordo com o líder comunitário Roger Brasil, a família da criança tentava deixar o local de conflito quando uma das bombas de gás lançadas pela PM explodiu muito próximo. “O bebê acabou inalando a fumaça e passou muito mal. No entanto, ele foi levado rapidamente para o hospital, medicado e não corre risco”, disse ao Metrópoles.

A Secretaria de Saúde informou que não houve entrada de criança, em torno de sete meses, vítima de suposta intoxicação por gás nos hospitais de Ceilândia, Brazlândia, Taguatinga e Samambaia, que seriam os locais próximos ao do Núcleo Rural 26 de Setembro. Explicou, ainda, que o Serviço de Atendimento Móvel e de Urgência (Samu) não recebeu qualquer solicitação de atendimento relativo ao caso. No início da tarde, áudios circularam pelas redes sociais dando conta que a criança havia morrido. Mas o líder comunitário negou.

Cerca de 80 casas foram erguidas recentemente no local. De acordo com o governo, a área é pública. Em vídeo enviado ao Metrópoles, os moradores afirmam ter decisão judicial que impede a derrubada no local. Veja abaixo:

 

A confusão teve impacto no trânsito da DF-001, que está parcialmente bloqueado. A  Polícia Militar informou que são aproximadamente 300 manifestantes divididos em grupos de 30 pessoas.

Conforme informações da corporação, a tropa de choque fez uso de munições químicas (equipamento menos letal), no intuito de dispersar os manifestantes e utilizando o veículo blindado Centurion para desobstruir os obstáculos instalados.

Segundo a PM, a derrubada vem ocorrendo há alguns dias, Informou também que três pessoas foram presas (dois por resistência e um por receptação de uma moto roubada). Nesta sexta, ninguém foi preso.