Mesmo com liberação, nem todas salas de cinema do DF vão reabrir. Confira

Enquanto algumas empresas têm nem data para voltar a funcionar, outras projetam retorno já para a próxima semana

atualizado 04/09/2020 17:12

CinemaIstock/Divulgação

Apesar da liberação de funcionamento de cinemas no Distrito Federal já a partir desta quinta-feira (3/9), as empresas que administram esses espaços ainda se preparam, sem pressa, para a reabertura seguindo todas as novas regras e protocolos. Quem pensava em assistir um filme no próximo final de semana, terá que esperar um pouco mais.

O Cinemark, responsável pelas salas dos shoppings Iguatemi e Pier 21 informou que “ainda não tem data definida para a reabertura de seus complexos”.

Já a rede Kinoplex, que administra os cinemas dos shoppings Boulevard, Pátio Brasil, Terraço e Park disse que a reabertura acontecerá a partir da próxima quinta-feira (10/9), e dará mais informações sobre o funcionamento em breve.

A Cineflix, no JK Shopping, já marcou para este domingo (6/9) a retomada de atividades. Segundo a administradora, “além do bloqueio de fileiras intercaladas, haverá um intervalo de duas em duas poltronas alternadamente, assegurando um distanciamento ainda maior”. Outro ponto de preocupação, o ar condicionado, “funcionará com higienização especial”.

O Espaço Itaú de Cinema, no Casa Park, ainda não abriu vendas de ingresso e no site da empresa ainda não há um pronunciamento sobre possível data.

A Secretaria de Cultura, responsável pelo Cine Brasília, informou que o local precisa ser adaptado às regras de segurança e higiene propostas e “entram consequentemente nessa linha de abertura planejada”. A pasta disse que “trabalha na publicação dessa Portaria de abertura ampliada e publicará na sequência o calendário”.

Regras específicas

O decreto que libera o funcionamento estabelece regras a serem cumpridas pelos espaços culturais. Entre as quais, a disponibilização de produtos para higienização de mãos e sapatos, além da limpeza de aparelhos de ar-condicionado e higienização das poltronas entre as sessões.

As salas de cinemas e teatros devem ser liberadas respeitando-se a regra de “uma fileira de cadeiras ocupadas e outra desocupada”. Os ingressos serão vendidos apenas pela internet. O acesso às salas de exibição só será permitido para quem estiver utilizando máscara facial.

Será proibida a entrada de pessoas que possuam comorbidades assinaladas no Plano de Contingência para Infecção Humana pelo Novo Coronavírus da Secretaria de Saúde. O documento enumera 18 situações clínicas – dentre as quais, diabetes, doenças cardíacas crônicas e doenças respiratórias descompensadas. Contudo, o decreto não orienta como os estabelecimentos devem realizar esse controle.

Os fluxos de circulação de pessoas nos corredores e nas entradas e saídas das salas deverá ser organizado para ocorrer de maneira ordenada. De acordo com o documento, a organização dos espaços físicos deverá garantir a distância mínima entre espectadores e grupos de espectadores, limitados a seis pessoas.

O texto também determina que os cardápios das lanchonetes que ficam nas entradas dos cinemas sejam higienizados após manipulados pelo cliente. Eles devem ser revestidos de material que possibilite a higienização, ou expostos em lousas ou disponibilizar o acesso por meio de QR Code no celular. Além disso, os menus devem ser fixados em local visível e de fácil acesso, de placa com informações quanto à capacidade total do estabelecimento, metragem quadrada e quantidade máxima de frequentadores permitida.

Veja, abaixo, o documento publicado nesta quinta:

0

Últimas notícias