Adasa autoriza Caesb a ampliar racionamento para 48 horas no DF

Após nível do Descoberto cair a 10,5%, companhia admite que planeja a ampliação do prazo de corte no fornecimento

atualizado 20/10/2017 12:38

MICHAEL MELO/ METRÓPOLES

A partir desta sexta-feira (20/10), a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) está autorizada a ampliar o racionamento para até 48 horas na capital do país. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) publicou no Diário Oficial do DF (DODF) a Resolução nº 23, que dá sinal verde para que a empresa adote a medida mais drástica de restrição no abastecimento.

Por enquanto, a Caesb informa que a decisão não foi tomada. De acordo com a  Resolução nº 20 da Adasa, a concessionária deve fazer publicidade ao plano de racionamento em seu site e em veículos de comunicação com, no mínimo, 24 horas de antecedência à sua aplicação. A companhia informa que, se o racionamento for maior que o prazo atual, a população será informada com até três dias de antecedência.

“Estamos acompanhando diariamente a situação dos reservatórios. Qualquer decisão em relação à ampliação será tomada pela Adasa e pela Caesb, obedecendo critérios técnicos”, disse nesta sexta (20) o governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

De acordo com o texto publicado no Diário Oficial, diante da situação crítica de escassez hídrica no reservatório do Descoberto, “a Caesb está autorizada a ampliar o período de restrição de fornecimento, de acordo com plano de racionamento a ser aprovado, devendo ser observado o limite máximo de 48 horas de interrupção do fornecimento de água”. Hoje, a interrupção é de 24 horas.

Reprodução/Diário OFicial do DF

Ainda segundo a Adasa, as precipitações registradas e as condições climáticas para outubro não atenderam às expectativas. O Distrito Federal também registrou recordes de temperaturas, como, por exemplo, no domingo (14), de 37,3ºC, com o aumento significativo da taxa de evaporação.

A situação é dramática. Os níveis dos dois reservatórios que abastecessem a capital não param de cair. Nesta quinta-feira (19), o Descoberto reduziu para 10,5%. O de Santa Maria ficou em 25,2%. Em entrevista ao Metrópoles também na quinta, o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, informou que já existe um plano estruturado para a ampliação de dois dias consecutivos no racionamento imposto aos moradores do DF.

Existe esse planejamento, caso o nível do Descoberto caia abaixo do esperado para o mês (9%). Nos preparamos para o pior, mas esperamos o melhor.

Maurício Luduvice, presidente da Caesb

Nesta sexta (20), a Caesb abriu o canal Santos Dumont, que sai do Rio Pipiripau. A medida, autorizada pela Adasa, deve beneficiar os agricultores da região, por um lado, e agravar a crise hídrica para moradores de Sobradinho e Planaltina.

Volume morto
Também na edição do DODF desta sexta, a Adasa liberou mais de R$ 6 milhões da Tarifa de Contingência cobrada dos consumidores que extrapolaram o limite de 10 metros cúbicos/mês para que a Caesb faça investimentos de novas estruturas para captação de água na Barragem do Descoberto, visando a captação do volume morto do manancial.

A companhia terá o prazo de 10 dia para apresentar à Adasa o cronograma atualizado de implementação do sistema. Outros R$ 15 milhões (R$ 12 milhões da tarifa de contingência e R$ 3 milhões de 25% da reserva adicional) poderão ser usados para a construção da adutora e elevatória Olhos D’Água (R$ 7 milhões), da adutora e elevatória Alagado (R$ 4,5 milhões) e da elevatória Ponte da Terra (R$ 500 mil). Todas essas estruturas ficam no Subsistema Gama, parte do Descoberto.

Mais lidas
Últimas notícias