Média móvel de mortes por Covid-19 no DF sobe para 15

O indicador subiu pelo segundo dia consecutivo, mas, mesmo assim, está 24,5% menor do que o registrado há 14 dias

atualizado 30/06/2021 18:13

Divulgação/PMJP

A média móvel de mortes por Covid-19 no Distrito Federal subiu para 15 nesta quarta-feira (30/6). Em relação ao verificado há 14 dias, no entanto, o índice reduziu 24,5%, completando o oitavo dia consecutivo com queda na quantidade de óbitos.

Por causa do tempo de incubação do novo coronavírus, adotou-se a recomendação dos especialistas de se comparar a média móvel do dia com a de duas semanas antes. As oscilações no número de mortes ou de casos em até 15% para mais ou para menos caracterizam invariabilidade.

Nas últimas 24 horas, foram registradas 19 mortes e 825 novas infecções. Devido ao atraso nas notificações, os óbitos não ocorreram, necessariamente, nesse período. Ao todo, o DF já registrou 430.461 casos da doença e 9.251 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Veja:

Taxa de ocupação das UTIs

A taxa de ocupação de unidades de terapia intensiva (UTIs) e UCIs voltadas para pacientes com Covid-19 na rede pública estava em 59,8% na última atualização da Secretaria de Saúde, realizada às 16h25 desta quarta, e, portanto, não foi atualizada nesta terça. Ao todo, 378 dos 632 leitos estão ocupados.

Na rede privada de saúde, 188 das 222 unidades estão ocupadas –84,9% do total. Essas informações também foram atualizadas às 12h10 de hoje.

Média móvel

Acompanhar o avanço da pandemia de Covid-19 com base em dados absolutos de mortes ou casos está longe do ideal. Isso porque eles podem ter variações diárias muito grandes, principalmente atrasos nos registros. Nos fins de semana, por exemplo, é comum perceber redução significativa dos números.

Para diminuir esse efeito e produzir uma visão mais fiel, a média móvel é amplamente utilizada ao redor do mundo. A taxa representa a soma dos óbitos divulgados em uma semana dividida por sete.

O nome “móvel” é porque varia conforme o total de falecimentos dos sete dias anteriores.

Mais lidas
Últimas notícias