“Me sinto 50% mais seguro”, diz homem sem comorbidade vacinado aos 58 anos no DF

Vacinação de pessoas da faixa etária começou nesta terça-feira (8/6), após o remanejamento de doses de outros grupos prioritários

atualizado 08/06/2021 10:47

Vacinação no Parque da Cidade para pessoas com 59 anosArthur Menescal/Especial Metrópoles

Moradores do Distrito Federal com 58 anos, sem comorbidades, começaram a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19, nesta terça-feira (8/6).

O agendamento para esse público começou às 17h dessa segunda-feira (7/6). De acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, a inclusão da nova faixa etária foi possível graças ao remanejamento de doses restantes de grupos prioritários contemplados anteriormente e que, por algum motivo, não buscaram a vacinação.

Dados da Codeplan estimam que aproximadamente 28 mil pessoas nessa faixa etária vivem no DF, e cerca de 20 mil indivíduos estariam aptos a vacinar. Os demais já teriam sido imunizados em grupos prioritários.

As pessoas que agendarem e não comparecerem para receber a vacina em até cinco dias após a data marcada perdem a prioridade na imunização caso não tenham justificativa.

No Estacionamento 13 do Parque da Cidade, a aplicação de doses foi iniciada às 9h20. No local, apesar de haver fila, a vacinação está rápida.

Apesar da liberação de doses para pessoas com 58 anos, nesta manhã, não havia muitas pessoas com a idade, na fila do posto de vacinação do Parque da Cidade.

Davi Leandro Di Pietro, 58, recebeu a imunização nesta manhã. Ele não teve problemas para realizar o agendamento. Leandro chegou ao local por volta das 9h e tomou a primeira dose da AstraZeneca. “Estou muito feliz. Não tive problemas para agendar. Cheguei no horário marcado e, como está muito organizado, vou ficar na fila rapidamente. Esperei um ano e meio por isso. Me sinto 50% mais seguro. Agora, é só aguardar agosto para completar 100%”, pontuou.

Podem ser imunizados profissionais da educação com nome na lista, rodoviários indicados pelo sindicato, pessoas com comorbidades agendadas, população com 58 e 59 anos sem comorbidades que tenham agendado previamente, público com 60 anos ou mais (sem agendamento).

Ivani Vicente da Silva, 46 anos, é profissional da Educação, trabalha em creche e estava com o nome na lista. Ela chegou ao local às 6h20 e ficou na fila até às 9h30 para vacinar-se.

“Está muito organizado. Esperamos cerca de três horas pelo horário de abertura do posto. Valeu a pena. Esse era o meu maior desejo desde o início da pandemia. Estou feliz. A segunda dose ficou para agosto. Agora é só esperar”, disse Ivani.

Saiba como as vacinas atuam:

0

 

Últimas notícias