*
 

Após alcançar a façanha de se tornar o advogado mais jovem do Brasil, aos 18 anos, também é de Mateus de Lima Costa Ribeiro a proeza de ser o profissional com menos idade a fazer uma sustentação oral no Supremo Tribunal Federal (STF). O brasiliense defendeu, nessa quinta-feira (8/11), a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº 3559, movida pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), que questiona uma lei estadual do Rio Grande do Sul (nº 12.258/2008) sobre a prática de revistas íntimas nos funcionários pelas empresas.

“Falei por 15 minutos e argumentei que a lei era inconstitucional porque somente a União pode legislar em matéria de relações trabalhistas”, explica Mateus.

O placar terminou empatado em quatro a quatro, até que o ministro Dias Toffoli, relator da ação e presidente da Casa, pediu vistas. “Minha sustentação foi bastante elogiada e isso me deixou muito satisfeito”, comemora o jovem advogado.

Os argumentos dele foram acolhidos pelos votos dos ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Mello e Rosa Weber. Os votos contra foram de Luiz Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Luiz Fux e Celso de Mello. Gilmar Mendes e Cármen Lúcia não compareceram à sessão.

Prodígio
Aos 11 anos, Mateus recebeu convite para estudar no Center for Talented Youth (Centro de Jovens Talentos) da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em 2014, ganhou o prêmio anual de conquista acadêmica do programa International Talent Search, na renomada Universidade de Yale, em Connecticut, também nos EUA, por estar entre os 10% dos melhores alunos do programa para superdotados do Center for Talented Youth.

No Distrito Federal, ele integrou um programa da UnB destinado a alunos superdotados. Também estudou e frequentou o colégio Galois e a American School of Brasília.

Brasiliense, filho de advogados e professores, Mateus começou a cursar direito na UnB aos 14 anos e, antes mesmo de se formar, foi aprovado no XXV Exame da Ordem.