Mateus piora, Justiça intima GDF de novo, mas bebê não é operado

"Pela decisão, o governo tem até amanhã (segunda) para dar um retorno sobre a cirurgia. Talvez Mateus não tenha esse tempo", diz mãe

Arquivo pessoalArquivo pessoal

atualizado 27/05/2018 17:47

O estado de saúde de Mateus piorou. Os rins do recém-nascido já não funcionam. Apesar de a Justiça já ter determinado a cirurgia cardíaca, o menino não foi operado. Continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sobradinho (HRS) respirando com a ajuda de aparelhos e sob fortes medicações.

Mateus tem uma malformação cardíaca. Nesse sábado (26/5), saiu mais uma decisão judicial para que o governo tome as providências necessárias o mais rapidamente possível. A juíza plantonista da 8ª Vara da Fazenda Pública do DF, Márcia Regina Araujo Lima, mandou o GDF transferir o bebê para uma UTI especializada pública ou particular para que ofereça o suporte necessário, incluindo a cirurgia no coração. A multa diária estabelecida em caso de descumprimento é de R$ 10 mil.

 

Decisão judicial

Na manhã deste domingo (27), os médicos informaram à mãe de Mateus, Larissa Ferreira da Silva, 21 anos, que tiveram de aumentar a adrenalina e prescrever mais medicamentos. O caso é considerado gravíssimo. O Hospital de Sobradinho não tem especialista para operar o menino.

Mateus aguarda para ser transferido há mais de uma semana para o o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF). No começo da tarde deste domingo, a reportagem questionou o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) sobre a situação dramática do pequeno. O chefe do Executivo se esquivou e informou que o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, se pronunciaria, após o anúncio de que as aulas da rede pública serão suspensas nesta segunda (28).

Fonseca afirmou que acompanha o caso pessoalmente e que Mateus é o primeiro da fila para cirurgia no Instituto de Cardiologia. “Sabemos da gravidade. A nossa expectativa é de que a vaga [em UTI] apareça ainda hoje [domingo]”, disse.

Doação
Enquanto isso, Larissa luta de todas as formas pela vida de seu caçula. Agora, ela tenta, com ajuda do Metrópoles, arrecadar R$ 100 mil para pagar o tratamento do filho na rede privada. Após a publicação da reportagem nesse sábado (26), a família de Mateus passou a receber doações e muitas mensagens de carinho e fé. “São tantas que ainda não consegui responder todas, mas o retorno tem sido muito bom”, disse a jovem, moradora de Planaltina.

Mateus nasceu no dia 17 de maio e precisa de um cateterismo e cirurgia de urgência. O defensor público que representa a família conseguiu uma primeira ordem judicial obrigando o DF a providenciar o transferência para o ICDF ou arcar com os custos na rede privada. Quase 10 dias depois, o recém-nascido segue internado na UTI do hospital se Sobradinho.

“Ele está muito inchado e pálido. A cada dia que passa, a situação fica mais complicada e os riscos aumentam. Pela decisão judicial, o governo tem até amanhã [segunda] para dar um retorno sobre a cirurgia. Talvez Mateus não tenha esse tempo”, desabafou a mãe.

Além do recém-nascido, Larissa é mãe de um menino de 2 anos e precisa se revezar no cuidado do filho mais velho e acompanhar o caçula na UTI. Ela está desempregada e não consegue arcar com os custos da cirurgia em um hospital particular.

Nos primeiros momentos de vida, Mateus não apresentou os sintomas que hoje complicam o estado de saúde dele. O menino chorou ao nascer, estava corado e conseguiu mamar. Também não tinha problemas em fazer as necessidades fisiológicas.


Ajude Mateus

As doações podem ser feitas diretamente na conta ou pelo telefone da mãe de Mateus.
Beneficiária: Larissa Ferreira da Silva
Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 0973 013
Conta Poupança: 00083082-0
Contato: (61) 99678-4369

 

Colaborou de Isadora Teixeira

Últimas notícias