Marquise cai em Brazlândia. Causa ainda é desconhecida

Desabamento ocorreu nesta segunda-feira (21/10/2019) na Quadra 34 da cidade. Defesa Civil busca os motivos

atualizado 21/10/2019 18:04

Uma marquise localizada no segundo andar de uma edificação na Quadra 34 em Brazlândia caiu nesta segunda-feira (21/10/2019). Apesar do estrago causado, ninguém se feriu, segundo informações do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF). A causa do desabamento ainda é desconhecida.

Para a ocorrência, foram utilizadas três viaturas e 15 militares da corporação. O CBMDF informou ainda que a queda do segundo piso sob o andar logo abaixo causou consideráveis danos à estrutura. Assim, uma vistoria da Defesa Civil foi pedida. O intuito é evitar um novo incidente do tipo.

O local ficou isolado para garantir a integridade das pessoas e a preservação do espaço.

Quase 700 imóveis notificados

A queda em Brazlândia ocorre apenas cinco dias depois de o Metrópoles publicar um levantamento da Defesa Civil apontando que, de janeiro até o dia 15 deste mês, 695 imóveis do DF haviam sido notificados por apresentarem riscos aos ocupantes. Do total, 93 construções foram interditadas – 14 delas resultaram em desabamentos.

As regiões administrativas que lideram o número de casos com queda de estrutura são Águas Claras e Sobradinho II, com três registros. Na sequência, estão Planaltina e São Sebastião, com dois casos cada. Gama, Taguatinga, Lago Sul e Vicente Pires completam a lista com uma ocorrência.

Por sorte, assim como a queda da marquise nesta segunda (21/10/2019), nenhum dos desabamentos ocorridos em 2019 resultou em mortes. No entanto, em 2017, um homem de 55 anos morreu após ser atingido por escombros de prédio que vistoriava, em Vicente Pires. A construção estava irregular, de acordo com os órgãos fiscalizadores. A preocupação é evitar que novas fatalidades ocorram no Distrito Federal.

Os problemas apontados pelas autoridades, porém, vão além das ocupações e construções irregulares. Atualmente, a capital não possui legislação vigente que obrigue os proprietários dos imóveis a realizarem vistorias constantes nas edificações. Um projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados desde 2014, entretanto, tenta mudar o panorama.

Inspeções obrigatórias

De autoria do deputado federal Augusto Coutinho (Solidariedade-PE), o texto quer instituir a obrigatoriedade de inspeções visuais, técnicas e periódicas em edificações públicas e privadas, como residenciais, prédios comerciais, de prestação de serviços, industriais, culturais, esportivos e institucionais.

Caso a proposta seja aprovada, caberia aos militares do Corpo de Bombeiros realizarem os serviços de vistoria predial. Cinco anos depois da sua criação, o projeto só passou pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania em agosto e, agora, aguarda parecer do relator, o senador Márcio Bittar (MDB).

Os desabamentos no Distrito Federal não são isolados. O mais recente deles ocorreu ainda neste mês. Na noite do dia 12, a varanda do terceiro andar de um prédio em Taguatinga Sul cedeu e caiu junto com uma moradora. Identificada como Carolina Veiga Araújo, 25 anos, a moça foi levada ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT) queixando-se de dores.

O prédio onde ocorreu o incidente é residencial e comercial, e, após o desabamento da laje, recebeu vistoria dos bombeiros e da Defesa Civil, que optou pela interdição do edifício. Os demais ocupantes foram retirados, e o local, agora, aguarda perícia para determinar as causas do acidente.

Últimas notícias