Aproximadamente 300 pessoas se reuniram, na manhã deste domingo (26/6), em frente ao Congresso Nacional em defesa do Projeto de Lei 4.850/16, que regulamenta o pacote que prevê 10 medidas para combater a corrupção. A concentração começou por volta das 11h. Vestidos de branco e com balões amarelos, os integrantes do protesto cantaram o hino nacional e fizeram um cordão humano para formar a expressão “10 medidas”. A ação já havia sido feita em Curitiba (PR).

Em 29 de março, integrantes do Ministério Público e da sociedade civil entregaram ao Congresso Nacional mais de 2 milhões de assinaturas em apoio as propostas. As assinaturas foram coletadas durante oito meses em todo o país. Três meses depois, o presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), autorizou a criação de Comissão Especial, composta por 30 membros titulares e 30 suplentes, que será responsável pela análise do PL. Os integrantes serão indicados pelos líderes partidários.

Em mais um movimento pela aprovação das medidas, na última quarta-feira (22), o pacote foi debatido no plenário da Câmara dos Deputados em explanação pública. Dentre as propostas estão a criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos e do caixa 2; o aumento das penas; a transformação da corrupção de altos valores em crime hediondo; a recuperação de lucro derivado do crime e celeridade nas ações de improbidade administrativa.

A procuradora-geral de contas do DF, Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, é uma das defensoras das medidas e também participou da ação. “Queremos mostrar aos congressistas que estamos atentos e queremos a aprovação da lei de iniciativa popular de combate à corrupção no nosso país”, disse.

A aposentada Wania Maria conta que abriu mão das atividades de lazer na manhã deste domingo porque acredita que a aprovação do PL 4.850/16 pode ajudar a mudar o país. “É muito importante nos mobilizarmos. O Brasil precisa mudar e esse pacote das 10 medidas é crucial para que tenhamos efetividade no combate à corrupção”.

Jailton Almeida, um dos coordenadores do Vem Pra Rua, explicou que o movimento é apartidário e que a importância de fazer um ato como esse em frente ao Congresso é grande, uma vez que o objetivo é pressionar os parlamentares para aprovar o projeto de lei. “A iniciativa de hoje ocorre simultaneamente em oito capitais do país e vai continuar até que o PL seja aprovado em plenário”, disse.