Major que espancou companheira em Águas Claras ameaçou matar enteada a tiros

Adolescente de 15 anos é filha de outro relacionamento da vítima. O oficial disse que mataria a garota, a esposa e depois se suicidaria

atualizado 27/09/2021 12:12

ViolênciaHugo Barreto/Metrópoles

O major da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi preso e autuado por lesão corporal no âmbito da Lei Maria da Penha cometida contra a esposa. O oficial chegou a ameaçar a filha da mulher, uma adolescente de 15 anos.

Segundo o depoimento da vítima em audiência de custódia que liberou o suspeito, o policial teria afirmado que mataria a garota, a esposa e depois cometeria suicídio. A jovem é enteada do agressor.

Ainda de acordo com o depoimento, o homem agrediu a companheira física e verbalmente e a ameaçou com uma pistola. Depois disso, a adolescente acionou a PMDF, que prendeu o major em flagrante na última quinta-feira (23/9).

Levado para a 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), o suspeito foi atuado. O Metrópoles não vai revelar o nome do oficial para preservar a identidade das vítimas das agressões e ameaças. Após audiência de custódia, que aconteceu na manhã da última quinta (23/9), o major conseguiu ser liberado.

Medidas protetivas

Na delegacia, a mulher foi ouvida em termo de declaração e requereu medidas protetivas de urgência, que foram concedidas pela Justiça. Agora, o homem  não pode se aproximar da companheira nem manter qualquer tipo de contato telefônico ou por meio de aplicativos.

De acordo com a vítima, o relacionamento teria se desgastado nos últimos seis meses. Pontuou ainda que já teriam acontecido outras agressões. Na quinta, o oficial teria acertado a mulher com um soco e puxado os cabelos dela. Além disso, de acordo com a depoente, o major faria uso de medicamentos, como Rivotril, Revoc e Ácido Volproico.

Procurada pela reportagem, a PMDF informou que aguardará o envio dos autos à corporação para adoção do devido processo legal.

Últimas notícias