Lar dos Velhinhos no DF pede ajuda após doações caírem 80%

A casa Maria Madalena precisa de produtos de limpeza higiênica e pessoal, além de EPIs. Saiba como ajudar

atualizado 08/04/2020 12:19

Reprodução, arquivo pessoal

As medidas restritivas para conter o avanço do coronavírus provocaram uma queda nas arrecadações do Lar dos Velhinhos Maria Madalena, situado no Núcleo Bandeirante. Desde o início da pandemia, as doações para a instituição caíram em cerca de 80%, segundo os responsáveis pela casa.

No geral, faltam produtos de limpeza higiênica e pessoal, além de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os colaboradores do lar.

Segundo a coordenadora da instituição, Ana Paula Neris, 38 anos, a instituição está comprando os produtos, por enquanto, com dinheiro de doações.

“Estamos com muitas coisas em falta: shampoo, condicionador, sabão em pó, creme hidratante, desodorante, entre outros. Ainda temos alimentos, mas é um ponto que nos preocupa”, considera Ana Paula.

De acordo com ela, tudo no lar é em grande consumo. “Os idosos comem cerca de 20 frangos por dia. Banana e café também não podem faltar no cardápio deles”, explica a coordenadora.

Os interessados em ajudar a instituição podem ligar nos seguintes números: (61) 99352-0912 e (61) 3552-0504. Depósitos também pode ser feitos nas seguintes contas: BRB (Agência 105 e conta corrente 105030535-0), Caixa Econômica Federal (Agência 0688/ Op. 003/ Conta corrente 080006-2) e Banco do Brasil (Agência 2901-7/ Conta corrente 701924-6 / CNPJ: 00.065.060/0001-92).

Vale lembrar que, por conta da pandemia, as atividades coletivas no lar estão suspensas. Os colaboradores da instituição passam por um rigoroso processo de higienização antes de ter contato com os idosos.

O problema é que estão começando a faltar máscaras, álcool em gel e outros equipamentos para que os profissionais possam trabalhar e cuidar adequadamente de quem vive lá.

Confira um vídeo de pedido de ajuda do lar:

Saudade

No lar do Núcleo Bandeirante, para que os idosos possam matar a saudade de seus familiares, a saída encontrada foi a de fazer chamadas por vídeo com os parentes. Muitos dos velhinhos da instituição tem adotado a tecnologia como fonte de contato.

0

Além dessa medida, a instituição vem adotando medidas a fim de minimizar os impactos psicológicos causados pela doença nos idosos. No total, a casa acolhe cerca de 94 idosos, com faixa etária de 60 a 101 anos.

Últimas notícias