Justiça mantém prisão de motorista que atropelou advogada no Lago Sul

Quando Tatiana chegou na frente de casa e saltou do veículo, Paulo Ricardo a atropelou intencionalmente com um Fiat Idea

atualizado 26/08/2021 13:31

homem de ternoReprodução

A Justiça do Distrito Federal manteve a prisão do motorista preso em flagrante após atropelar propositalmente a advogada e servidora da Agência Reguladora de águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) Tatiana Machado Matsunaga, nessa quarta-feira (25/8). Trata-se do advogado trabalhista Paulo Ricardo Moraes Milhomem (foto principal), 37 anos.

Na decisão que converte o flagrante em prisão preventiva, a juíza Paula Afoncina Barros Ramalho atesta que as circunstâncias indicam, num primeiro juízo, a especial periculosidade do agente e “fornecem base empírica idônea à conclusão de que sua liberdade afetará a ordem pública .”

Furioso, Paulo Ricardo seguiu a advogada desde a quadra QI 15, no Lago Sul, até a casa da vítima, na QI 19. Ele a perseguiu após uma briga de trânsito. Quando Tatiana chegou na frente de casa e saltou do veículo, Paulo Ricardo a atropelou com um Fiat Idea. Ainda havia um menino de 8 anos dentro do carro, filho da vítima.

A advogada passou por cirurgia no mesmo dia do atropelamento. Segundo familiares, Tatiana teve traumatismo craniano, fratura da bacia e fratura exposta do tornozelo. Ela deu entrada na sala de cirurgia do Hospital de Brasília no fim da noite de ontem.

Milhomem, autuado por tentativa de homicídio, trabalhou como assessor do deputado federal João Carlos Bacelar (PL-BA), em cargo de natureza especial, com salário de R$ 5,1 mil, até 2018, quando foi exonerado. O advogado deverá passar por audiência de custódia nesta quinta-feira (26/8).

Atropelamento gravado

Câmeras do circuito de segurança da casa flagraram o momento do crime. Quando a advogada posiciona o veículo de ré para entrar em sua garagem, o atropelador chega e começa troca de ofensas. Com a gritaria, o marido da vítima sai de casa para ver o que estava acontecendo. Logo depois que Tatiana desce do carro, o autor do crime faz uma manobra brusca e joga o veículo sobre a vítima, com violência.

Veja imagens do atropelamento:

O caso é investigado pela 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul). Logo após o crime, o homem apresentou-se na unidade policial acompanhado por um advogado.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) ressaltou que “o atropelamento da advogada Tatiana Machado Matsunaga choca a sociedade e a advocacia, pela brutalidade, pela motivação e pelo fato de ser um advogado o autor do crime, flagrado pelas autoridades.”

0

Além disso, a entidade informou que “se coloca à disposição da vítima e de sua família e deseja pronta recuperação.”

Outro lado
A defesa do autor informou que irá recorrer da decisão. “Reforça-se que Ricardo é primário, de bons antecedentes, tem residência fixa, profissão estável, apresentou-se espontaneamente e está disposto a colaborar na investigação do ocorrido. Dessa forma, não há subsídios suficientes para mantê-lo preso”, explicou o advogado Leonardo de Carvalho e Silva.

Mais lidas
Últimas notícias