Supremo concede habeas corpus a ex-distrital Carlos Xavier

Decisão é do ministro Lewandowski. O ex-parlamentar vai responder pelo assassinato de adolescente em liberdade

TV Globo/ Repdodução

atualizado 15/11/2018 12:58

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski determinou, na tarde desta quarta-feira (14/11), que o ex-deputado distrital Carlos Xavier responda pelo crime de homicídio em liberdade. O político nunca chegou a ser detido, já que está foragido desde a determinação de sua prisão, ainda em 2016.

Carlos Adão Xavier foi condenado em segunda instância a 15 anos de prisão em 2014, por ordenar o assassinato de um jovem de 16 anos que ele acreditava ser amante de sua então esposa. O crime ocorreu em 2004.  No ano passado, o ministro Lewandowski já havia concedido uma liminar autorizando que o ex-distrital permanecesse em liberdade, decisão derrubada poucos meses depois.

Assassinato
Xavier foi o primeiro deputado distrital cassado na história da Câmara Legislativa do DF. Acabou condenado pela morte do adolescente Ewerton Ferreira, no Recanto das Emas, após  desconfiar que o jovem mantinha um relacionamento com sua mulher.

O corpo de Ewerton foi encontrado atrás de uma parada de ônibus. Segundo a acusação, Xavier contratou o capoeirista Eduardo Gomes da Silva, conhecido como Risadinha, Leandro Dias Duarte e um adolescente para executarem a vítima. Em abril de 2014, ele foi condenado a 15 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, pelo crime de homicídio. A decisão havia sido confirmada em segunda instância no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

Últimas notícias